Fogo no Pantanal já dura 82 dias e mobiliza mais de 500 homens e seis aeronaves em MS - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

22/09/2021

Fogo no Pantanal já dura 82 dias e mobiliza mais de 500 homens e seis aeronaves em MS

Área queimada em 2021 é a 2ª maior dos últimos dez anos



Operação de combate a incêndios no Pantanal já dmens da Marinha, Exército, Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), Defesa Civil, polícias civil e ambiental e prefeituras estão apoiando militares do Corpo de Bombeiros na Operação Heura 82 dias e mobiliza 510 homens, 88 viaturas e seis aeronaves. Desde o dia 1º de junho, hofesto — deus grego do fogo ou Vulcano.

Conforme o Lasa (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais do Departamento de Meteorologia da UFRJ), a área queimada em 2021 é de 1,08 milhão de hectares, apenas 46% do total devastado no mesmo período em 2020, quando haviam sido incendiados 2,65 milhões de hectares.

Entretanto, ainda assim é a 2ª maior área dos últimos 10 anos.

“A situação é crítica por vários fatores: seca prolongada e intensa, crise hídrica severa e uma geada no meio do ano, que secou ainda mais a vegetação. Mesmo nestas condições extremas, estamos controlando os incêndios”, disse o comandante-geral dos Bombeiros, coronel Hugo Djan Leite.

A propagação do fogo se intensificou nos últimos dias, em várias regiões do Pantanal. Na região do Jatobazinho, norte de Corumbá, o combate está sendo realizado por uma equipe de 19 bombeiros. O maior efetivo encontra-se na sub-região do Nabileque (sul de Corumbá), com 35 militares atuando intensamente para controlar os focos nas fazendas Santa Luzia e Pensamento. Trinta bombeiros combatem incêndio na Fazenda Santa Eulina, no Paiaguás.
Reforço

Na terça-feira (21), mais de 50 bombeiros se apresentaram para integrar a equipe da Operação Hefesto em Corumbá, sede operacional da força-tarefa.

O incêndio mobiliza bombeiros de Mato Grosso do Sul e também do Mato Grosso. O fogo começou no estado vizinho, mas adentrou MS pela região da Serra do Amolar, 200 quilômetros ao norte de Corumbá.

Fonte: Mídiamax