Após fala de secretário, audiência sobre passaporte da vacina em Campo Grande termina em confusão - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

27/09/2021

Após fala de secretário, audiência sobre passaporte da vacina em Campo Grande termina em confusão

Geraldo Resende disparou 'fascitas e nazistas' e público que acompanhava audiência reagiu

Revoltado com fala de secretário, vereador Thiago Vargas aponta dedo contra Geraldo ©Paulo Francis
Acabou em confusão a audiência pública para debater a exigência do Passaporte da Vacina promovida pela Câmara Municipal de Campo Grande na tarde desta segunda-feira (27). O clima tenso, que já vinha do início da sessão, virou tumulto após a fala do secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, que chamou alguns manifestantes de “nazistas e fascistas”.

Logo após a fala de Geraldo, o cerimonial deu como encerrada a sessão por falta de segurança. “Nazistas e facistas da atualidade não vão prosperar. Nós, o povo haverá de pará-los e haverá de colocar vocês na lata de lixo da história”, disse o secretário se dirigindo a parte dos manifestantes que ocupavam o plenário e que eram contra o Passaporte. 

A Guarda Municipal precisou intervir e conter alguns manifestantes que ameaçavam ir até Geraldo. Outros agentes da Guarda acompanharam o secretário até a saída do plenário.

Antes, porém, o secretário disse que era a favor do passaporte. “Eu vou lutar para essa debate acontecer em todas as cidades de Mato Grosso do sul”.

O debate, que antecedeu a confusão, no entanto, transcorreu normalmente. O deputado estadual Pedro Kemp (PT) disse em discurso breve que é a favor das vacinas e que acredita na ciência, não em fake News. “As vacinas são aprovadas pela Anvisa, quem não acredita na ciência, que vá estudar”.

A diretora da Associação Comercial de Campo Grande, Juliana Aranda, que representou a instituição na audiência, se disse contra o Passaporte. “Somos a favor de nossa liberdade e de nossos cidadãos. Mais de 8 mil empresas já sofreram com a pandemia e todas que são organizadas têm medidas de biossegurança.



Fonte: Midiamax
Por: Lucas Mamédio e Ranziel Oliveira

***