Família autoriza doação de órgãos de digital influencer que teve morte cerebral - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

20/08/2021

Família autoriza doação de órgãos de digital influencer que teve morte cerebral

Nas redes sociais, amigos e páginas de motovelocidade prestaram homenagens

Ju Petronas tinha 32 anos e estava internada desde o último sábado. (Foto: Redes Sociais)
Após a confirmação da morte cerebral de Juliana Machado, de 38 anos, a Ju Petronas, a família autorizou a doação de órgãos da digital influencer, que estava internada desde o sábado o último sábado (14), após cair de um carro em movimento. Com sinalização positiva, equipe médica da Santa Casa deu entrada nos protocolos para avaliar o que pode ser doado. A funerária que fará o sepultamento disse que ainda não há data, nem horário previstos para o velório até o fim dos procedimentos.

"A família, seguindo o desejo da paciente em vida, autorizaram a doação de órgãos da mesma. Enlutados, os familiares deixaram registrado o agradecimento a todos os profissionais do hospital que a acompanharam", informou a Santa Casa

Despedida

A morte de Juliana deixou em luto a “irmandade” do mundo da motovelocidade. Conhecida em vários estados, a digital influencer foi lembrada entre amigos e em diversas publicações nas redes sociais, pelo jeito alegre e intenso de levar a vida, prematuramente interrompida, após queda de um carro em movimento.

“Ela era alegre, alto astral e vivia como se não existisse o amanhã. Todas as pessoas da irmandade do mundo de duas rodas conheciam ela, no Brasil inteiro”, conta Jenniffer Arce, de 33 anos. Parceira de motovelocidade e admiradora de Ju, ela lembra que conheceu a digital influencer nos eventos realizados País afora. “É difícil uma mulher nesse meio, por isso, ela era referência”, relata.

Jennifer afirma que nos grupos de motociclistas no WhatsApp, a morte de Juliana virou assunto principal. Todo mundo está muito triste”, completa. Com o retorno dos eventos, a digital influencer participaria de um encontro que aconteceria em novembro.

Nas redes sociais, dezenas de páginas de motovelocidade de Mato Grosso do Sul e de outros estados lamentaram a morte de Juliana, a que se referiram como “princesa de duas rodas”. “Sua passagem aqui foi iluminada e de alegria”, publicou um grupo de motociclistas de Santa Catarina. Já outro perfil, de São Paulo, disse que o céu estava em festa com a partida.

No instagram, o filho também se despediu. “Luto eterno. Te amarei para sempre, mãe”, publicou.

Por Clayton Neves

***