CAPITAL| Prefeitura vai contratar projeto de obras para controle de enchente no Segredo - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

17/08/2021

CAPITAL| Prefeitura vai contratar projeto de obras para controle de enchente no Segredo

©DIVULGAÇÃO
A Prefeitura de Campo Grande abriu licitação (na modalidade manifestação de interesse) para contratar uma empresa de consultoria que vai elaborar os projetos executivos das obras necessárias ao controle de enchentes, avaliação estrutural do canal do Córrego Segredo, além do recapeamento das duas pistas marginais, a Avenida Ernesto Geisel, entre a Rua Santa Adélia e a Avenida Mascarenhas de Moraes. O trajeto soma uma extensão de 7,2 km (14,4 km as duas pistas).

Os projetos devem custar R$ 2,3 milhões e serão custeados com recursos do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) que financia as obras do Reviva Mais Campo Grande, no Centro da Capital. A licitação segue as normas do BID que preveem este formato de manifestação interesse. A concorrência tem abrangência internacional e obrigatoriamente terá de contar com pelo menos duas empresas com sede em países sócios do BID. As propostas poderão ser apresentadas até o próximo dia 17 de setembro.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, dispondo do projeto a Prefeitura vai buscar a captação dos recursos necessários para custear as obras. Uma das intervenções previstas é o reforço da estrutura das paredes do canal construído há mais de 30 anos.

Também serão feitos os projetos de uma piscinão às margens da Avenida Rachid Neder, necessário para reduzir a vazão do Córrego Cascudo (canalizado sob a avenida) nos dias de chuva mais forte. Esta bacia, com capacidade para reter 15 milhões de litros, é necessária para evitar o transbordamento do Córrego Segredo na rotatória com a Avenida Ernesto Geisel, quando recebe as águas do Cascudo, um dos seus afluentes. Está prevista a elaboração do projeto de 5 barragens para retardar a chegada ao centro da cidade das águas que descem das suas cabeceiras.

Fonte: SECOM

***