Entrevista: Cuidado com a saúde mental - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

23/03/2021

Entrevista: Cuidado com a saúde mental

Vereador Ronilço Guerreiro fala sobre a importância do cuidado com a saúde mental durante a Pandemia

©DIVULGAÇÃO
O vereador Ronilço Guerreiro é psicólogo formado pela Universidade Católica Dom Bosco e tem acompanhado com preocupação a situação de vulnerabilidade mental que as pessoas estão passando na Pandemia. Na Câmara Municipal de Campo Grande tem visitado diversos bairros e está vendo de perto como as pessoas estão adoecendo e, muitas vezes, por falta de empatia do próximo. Guerreiro nesta entrevista fala um pouco sobre como lidar com a saúde mental, como estresse, mas principalmente como manter sob controle as emoções.

Diariamente somos bombardeados com informações pela televisão, jornal e principalmente pelas redes sociais. Você acredita que esse número de dados, cada vez mais alarmantes, tem adoecido a cabeça das pessoas?

Ronilço Guerreiro: Ter informações é muito importante, mas às vezes é preciso tentar tirar um pouco do foco no problema e fazer algo para espairecer. Recebemos diariamente milhares de informações sobre a pandemia, seja pela mídia ou até pelas rodas de conversas com amigos, no trabalho, e isso tem aumentado a angústia, deixado as pessoas cada vez mais ansiosas. Eu mesmo agora só vejo um jornal por dia na televisão, tento não me informar pelas redes sociais, que geram muito fake News, e busco alternativas para pensar em outras coisas, como por exemplo, ler um bom livro.

Já tínhamos um crescimento de casos de doença mental ligadas ao stress, ansiedade e depressão e com a pandemia esse fator aumentou. É possível tratar a saúde mental mesmo neste período de pandemia?

Ronilço Guerreiro: A pandemia nos trouxe uma série de desafios e esse de cuidar da saúde mental é um deles. Imagina que são tantas pessoas próximas precisando de atendimento ou morrendo, hospitais lotados, de um dia para o outro fomos obrigados a viver de máscara e não podemos mais sair de casa com liberdade, esses são fatores que mexem com nossa cabeça e as pessoas têm dificuldade de se adaptar ao novo. Então acredito que não ficar ansioso neste período é um grande desafio, principalmente porque não temos uma previsão de quando tudo isso vai acabar para recuperarmos parte da nossa rotina, sei que nunca mais seremos os mesmos, mas algumas coisas serão possíveis retomar. E, como sempre digo, para manter a saúde mental e melhorar as crises de ansiedade, criar coisas saudáveis para fazer como meditar, ler, evitar notícias o dia inteiro, assistir aquela série que estava com vontade, ou seja, buscar alternativas ajuda muito. Mas se observar que não tem melhorado e segue angustiado e com excesso de ansiedade e estresse, é importante buscar apoio profissional, atendimento de um psicólogo, e hoje muitos já atendem remotamente.

Existe fórmula para controlar o stress e a ansiedade? Ter uma vida de exercícios, uma boa noite de sono e uma alimentação equilibrada, ajuda?

Ronilço Guerreiro: São muitos os fatores que podem ajudar neste momento de crise que estamos passando. É normal que tenhamos medo e, com isso, a ansiedade aumenta. Ter ajuda psicológica é importante, entretanto tem coisas que podem ser feitas em casa e que auxiliam muito, e manter uma vida mais saudável é uma delas. Dormir bem com pelo menos oito horas de sono, comer comida mais saudável, evitar o excesso de álcool, criar um plano de atividades físicas e hoje temos muitos modelos para se fazer em casa, enfim, precisamos ocupar nosso dia com coisas benéficas e assim desligarmos um pouco do problema que assola o mundo. Mesmo assim digo que nem todos os dias serão fáceis, teremos momentos de vontade de desistir, que o sono não vai chegar, que vamos comer mal, o que é normal, mas pensar no equilíbrio é fundamental e para isso precisamos ter consciência que atitudes saudáveis nos fortalecem tanto no corpo, quanto na alma.

Como devemos olhar para outro neste momento de dificuldade?

Ronilço Guerreiro: É importante que possamos ter um olhar mais caridoso para as pessoas. A pandemia não é minha, não é sua, é do mundo e todos estão sofrendo, por isso é hora de exercitar a empatia, ter atitudes mais solidárias. Sempre digo que precisamos estar prontos para ajudar as pessoas e temos diversas formas de fazer isso, precisamos apenas buscar a nossa, encontrar maneiras de ajudar o outro e ter compaixão é bom para nossa mente, nos traz o sentimento de que nossa atitude foi importante e salvou pessoas. Todos ganham.

Teremos condições de recuperar nossa saúde mental quanto tudo isso passar?

Ronilço Guerreiro: Vejo que ainda vamos demorar para passar pelo furacão, estamos lutando para vencer, mas ainda não vencemos. A vacina chegou, as pessoas já estão com a esperança renovada, nossos idosos vacinados, e esse é um ponto importante, ter vacina para todos. Teremos que seguir adaptando nossa rotina dentro do “novo normal”, a higienização das mãos com álcool em gel chegou para ficar, o uso da máscara acredito que ainda vai ser por um bom tempo, mas enfim, nossa saúde mental passa por uma série de coisas que já vimos e manter uma vida saudável ajuda muito. Vamos sair muito fortalecidos desse momento duro que o mundo passa.

Por: Jakson Pereira

***