CAPITAL| Vereador Tiago Vargas (PSD) ingressa ação judicial para derrubar decreto do governador - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

12/03/2021

CAPITAL| Vereador Tiago Vargas (PSD) ingressa ação judicial para derrubar decreto do governador

©DIVULGAÇÃO
Foi publicado no dia 10, decreto estadual com restrições no comércio aos fins de semana e toque de recolher a partir das 20h, o que vem deixar os empresários e os trabalhadores de Campo Grande e outros municípios de Mato Grosso do Sul, à beira de um colapso de miséria e fome.

Diante de todo esse cenário assustador é que o vereador Tiago Vargas ingressou ação judicial contra o governador do estado, Reinaldo Azambuja, após publicar o então, chamado por ele de “Decreto da Vergonha''.

“Nós ingressamos na justiça contra esse decreto que eu chamo de “Decreto da Vergonha” do governador Reinaldo Azambuja, onde ele quer estimular um toque de recolher a partir das 20h gerando, assim, uma crise ainda maior, não só em Campo Grande, mas em todo o estado do MS. Como vereador por Campo Grande, jamais estarei aceitando atitudes como essa do governador”, declara o vereador.
Durante sessão ordinária na Casa de Leis realizada nesta quinta-feira, Tiago Vargas fez críticas à cobrança de ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços), pedindo redução da alíquota, bem como sugeriu a suspensão da cobrança do IPVA (Imposto sobre a Circulação de Veículos Automotores) em função das dificuldades econômicas que atingiram toda a população na pandemia.

“O que eu posso afirmar a todas as pessoas é que eu não estarei a favor disso. Não podemos ver os nossos trabalhadores e nossos comerciantes pagarem essa conta. Para vocês terem uma ideia, o governador do estado não fala em diminuir o ICMS, que é um dos maiores do Brasil. Ele não suspendeu a cobrança do IPVA, então, afirmo que ele não vem tomando atitudes concretas”, explica Tiago Vargas.

O vereador ainda questiona o porquê de Reinaldo Azambuja não fazer um auxílio estadual e ainda afirma que “agora ele quer estar contra os nossos empresários e trabalhadores. A todos esses profissionais que trabalham no período noturno, eu quero deixar bem claro, como vereador por Campo Grande, estarei comprando essa briga de vocês e não vou aceitar esse Decreto da Vergonha”, conclui.


Por: Thalita Vieira

***