CAPITAL| Para o presidente Carlão retorno das aulas na forma remota não é ideal, mas necessária para garantir saúde de alunos, pais e profissionais da Educação - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

09/02/2021

CAPITAL| Para o presidente Carlão retorno das aulas na forma remota não é ideal, mas necessária para garantir saúde de alunos, pais e profissionais da Educação

©DIVULGAÇÃO
Na manhã desta terça-feira (5), o vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, comandou reunião entre os vereadores da Casa de Leis a secretária Municipal de Educação (Semed), Elza Fernandes e a superintendente de Gestão e Normas (Sugenor), Alelis Izabel de Oliveira Gomes. O encontro foi solicitado pela Semed para esclarecimentos sobre o retorno das aulas na modalidade remota por parte da Rede Municipal de Educação, tendo em vista a Pandemia de Covid-19. O presidente afirmou que o retorno das aulas na forma remota não é o ideal, mas necessária para garantir a saúde de alunos, pais e profissionais da Educação que ainda não foram imunizados.

“Ouvimos esclarecimentos plausíveis da secretária Elza e da superintendente Alelis sobre a necessidade, neste primeiro momento do ano letivo, das aulas permanecerem remotas. A demanda de alunos é grande e a Rede Municipal precisa oferecer infraestrutura suficiente para o rodízio, por isso, irão fazer uma consulta pública com os pais sobre o retorno dos cerca de 109 mil alunos da Rede e as adequações pertinentes para o ensino Híbrido. O Poder Legislativo reivindica mais investimentos por parte do Executivo, tanto à secretária e ao prefeito, nas tecnologias e infraestrutura para as aulas remotas, como tablets e chips de celular, para as crianças que não podem dispor desse tipo de equipamento. Precisamos garantir a segurança nesse período de Pandemia, com a vacinação dos professores, pais e demais profissionais da educação. Condições do atendimento de todos protocolos de segurança, como o distanciamento e demais exigências técnicas”, disse Carlão.

A Secretaria de Educação pretende retomar as aulas presenciais ainda antes de julho deste ano, adotando todas as medidas de biossegurança para prevenção à transmissão da Covid-19. Elza Fernandes afirmou que a pasta já está fazendo o planejamento para o retorno de forma híbrida (parte da turma no ensino presencial e parte no on-line) e com turmas reduzidas, conforme ocorre nas escolas particulares desde o fim do ano passado.

“Precisamos ouvir todos os envolvidos para tomar essa decisão, que não é apenas da Secretaria de Educação. Precisamos dessa discussão com a Câmara, Ministério Público e ouvir ainda o Ministério Público. Pelas falas, a grande maioria dos vereadores é favorável ao retorno com a vacina, que é um fator importante. Mas, precisamos deste planejamento para o retorno híbrido, de 40% ou 50%, pois todos têm direito a esse retorno. A Secretaria está se organizando para antes de 1º de julho”, afirmou.

A secretária enfatizou a importância do retorno com “segurança e responsabilidade”. A questão do percentual de alunos para retorno, a dificuldade para retomar as aulas integrais, os alunos que precisam do transporte público estão entre as preocupações. Além disso, nos Emeis (antigos Ceinfs) a bebês de 4, 5 meses de idade, o que exige contato direito com os profissionais.

Por: Janaina Gaspar

***