“Pingo”, chefe da máfia do cigarro na fronteira, é expulso do Paraguai - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

15/10/2020

“Pingo”, chefe da máfia do cigarro na fronteira, é expulso do Paraguai

O ex-PM Fabio Costa foi entregue hoje a policiais federais na Ponte da Amizade

Algemado e usando colete, “Pingo” é conduzido por policial paraguaio na Ponte da Amizade ©Última Hora
O ex-policial militar de Mato Grosso do Sul Fábio Costa, 42, o “Pingo”, apontado como um dos principais chefes do contrabando de cigarro na fronteira, já está em poder da Polícia Federal brasileira.

Preso domingo (11) depois de se esconder por oito horas na chaminé da churrasqueira de sua mansão em Salto del Guairá, perto de Mundo Novo (MS), o contrabandista foi levado para o quartel da Agrupación Especializada, em Asunción, capital paraguaia.

Ontem (14), o presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez assinou a expulsão dele. Na prática, a medida acelera a saída de bandidos brasileiros presos naquele país, pois o processo de extradição poderia levar meses.

Na manhã de hoje (15), Fabio Costa foi levado em helicóptero da polícia paraguaia até o posto de controle migratório em Ciudad del Este e entregue à PF brasileira na Ponte da Amizade, que liga o Paraguai a Foz do Iguaçu (PR). Assim como os acessos em Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero, a ponte foi reaberta nesta quinta-feira depois de sete meses de bloqueio devido à pandemia do novo coronavírus.

Apontado como o responsável em pagar propina a policiais sul-mato-grossenses para permitir a passagem das cargas de cigarro paraguaio, “Pingo” estava foragido desde setembro de 2018, quando foi alvo da Operação Nepsis junto com outros “patrões” do contrabando.

No início de 2020 ele foi incluído entre os 26 bandidos mais procurados pelo Ministério da Justiça, com mandado de prisão internacional. O ex-PM está condenado a 12 anos de prisão por contrabando e organização criminosa.

Com a prisão de Fabio Costa, apenas Carlos Alexandre Gouveia, 40, o “Kandu”, outro alvo da Operação Nepsis, continua foragido. Morador no mesmo condomínio de luxo onde “Pingo” foi preso, Kandu também foi alvo da operação de domingo, mas conseguiu escapar do cerco policial.

Entretanto, policiais da fronteira afirmam que grupos rivais já se organizaram e aos poucos estão tomando conta das rotas do cigarro paraguaio antes dominadas por “Pingo”, “Kandu”, Ângelo Guimarães Ballerini, o “Alemão”, e Valdenir Pereira dos Santos, o “Perna” – os dois últimos atualmente recolhidos no Presídio Federal de Mossoró (RN).

Fonte: CAMPOGRANDENEWS
Por Helio de Freitas, de Dourados

***