Durante audiência pública sobre queimadas, deputado Evander Vendramini pede apoio ao homem pantaneiro - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

01/10/2020

Durante audiência pública sobre queimadas, deputado Evander Vendramini pede apoio ao homem pantaneiro

©REPRODUÇÃO
O deputado estadual Evander Vendramini (Progressistas) participou da Audiência Pública Virtual Queimadas no Pantanal, realizada pela Assembleia Legislativa na tarde de quarta-feira, 30 de novembro. A audiência contou com a participação de representantes do Governo Estadual, órgãos ligados ao meio ambiente e sociedade civil.

Durante o evento, Evander destacou a necessidade de se fazer uma mudança efetiva nas ações e políticas para prevenção e combate às queimadas no Pantanal. “O efetivo da Polícia Militar Ambiental é insuficiente. Hoje, por exemplo, são apenas dez pessoas para fiscalizar toda a extensão de Corumbá e Ladário. Isso sem falar de Coxim, Miranda, Anastácio, que também fazem parte do bioma pantaneiro. Precisamos de helicópteros e de equipamentos para o combate imediato”, solicitou o parlamentar.

Para Evander, não só as ações contra incêndios são importantes, mas também com relação à população que depende dos recursos naturais do Pantanal para subsistir. “Sabemos que a maior parte dos focos de incêndio é causada pelo ser humano, e é preciso orientar essas pessoas, chamar atenção das autoridades responsáveis para o que ocorre aos ribeirinhos, que carecem de assistência governamental e de apoio técnico especializado para efetuarem queimadas controladas”, apontou.

O deputado progressista ressaltou ainda durante a audiência as características da vegetação pantaneira que dificultam o controle dos focos de incêndio. “O Pantanal possui particularidades diferentes de qualquer outro local. Há algumas raízes de plantas que chegam a alcançar seis metros de comprimento. E por mais que contenhamos o fogo na superfície, ele se alastra por baixo da terra. Por isso, devemos aliar o conhecimento do homem pantaneiro ao de pesquisadores e dos órgãos ambientais para garantir a efetividade das ações contra as queimadas”, avaliou Evander.

Por: Adriana Viana