Ameaçada por mãe de santo, funcionária desvia R$ 50 milhões de empresa - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

05/10/2020

Ameaçada por mãe de santo, funcionária desvia R$ 50 milhões de empresa

Estelionatária teria ameaçado mandar espíritos malignos contra funcionária e patrões

Sala do SIG, que investiga desvio milionário em empresa de Dourados ©Adilson Domingos
A polícia de Dourados, a 233 km de Campo Grande, investiga rombo milionário nas contas de uma das mais importantes empresas do agronegócio da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

Supostamente chantageada por uma mãe de santo, a chefe do setor financeiro da empresa desviou R$ 50,8 milhões dos patrões e transferiu a bolada para pelo menos dez contas bancárias de várias partes do país.

A mulher teria praticado o golpe por medo das ameaças da mãe de santo, que prometeu enviar “espíritos malignos” para matar a funcionária e os proprietários da empresa. Os nomes da funcionária e da empresa ainda são mantidos em sigilo.

O caso está sendo apurado pelo SIG (Setor de Investigações Gerais), da Polícia Civil. Procurado pelo Campo Grande News, o chefe do SIG, delegado Rodolfo Daltro, disse que ainda não pode divulgar detalhes da investigação.

A reportagem apurou que recentemente a chefe do setor financeiro da empresa procurou a 1ª Delegacia de Polícia Civil para denunciar o caso.

Ela teria relatado que, sob ameaça, começou a fazer transferências milionárias para as contas bancárias indicadas pela mãe de santo, que mora em São Paulo.

Até os policiais se surpreenderam com o valor desviado. O agente que a atendeu teria perguntado: “você desviou R$ 50 mil?”. A funcionária então respondeu: “não, R$ 50 milhões”.

Na verdade o valor supera os R$ 50,8 milhões. A reportagem apurou que a polícia já identificou a mãe de santo e está atrás das contas bancárias, para pedir o sequestro do dinheiro.

A funcionária responsável pelos desvios também deve ser investigada. A polícia deve se pronunciar oficialmente sobre o caso nos próximos dias. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Helio de Freitas, de Dourados