Reconstrução de 8 pontes destruídas nos incêndios no Pantanal de MS vai custar R$ 3 milhões - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

30/09/2020

Reconstrução de 8 pontes destruídas nos incêndios no Pantanal de MS vai custar R$ 3 milhões

Apenas em 2020, os incêndios destruíram 3,461 milhões de hectares, o equivalente a 23% da área do Bioma, segundo dados do Ibama.

No Pantanal de MS, 8 pontes são destruídas pelos incêndios
Os incêndios que atingem o Pantanal sul-mato-grossense (desde quando?) já destruíram 8 pontes de madeira na região. Para reconstruí-las, serão necessários R$ 3 milhões, segundo a Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul).

Conforme o órgão, as pontes ficam em duas rodovias estaduais, a MS-243 e MS-195. Na primeira estrada, que fica na região do Guaicurus, cinco estruturas de madeiras foram consumidas pelo fogo, mas o trânsito não foi impedido porque desvios já tinham sido construídos.


Na segunda rodovia, localizada no Nabileque, duas pontes foram totalmente queimadas pelas chamas e equipes da Agesul trabalham na construção de novos desvios para liberar o acesso. Ainda de acordo com o órgão, serão necessário R$ 3 milhões para reconstruir todas as estruturas de madeira danificadas pelo fogo.
Bombeiros e brigadistas na região da Serra do Amolar, no Pantanal de MS. — Foto: Governo de MS/Divulgação

Apenas em 2020, os incêndios destruíram 3,461 milhões de hectares, o equivalente a 23% da área do Bioma, segundo dados do Ibama.

Algumas das áreas atingidas pelos incêndios este ano já haviam sido afetadas por queimadas de anos anteriores.

Nos últimos dois dias, quase 600 novos focos foram registrados em Corumbá. A situação mais crítica é na região da serra do Amolar, onde está o Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense e reservas particulares do patrimônio natural (RPPN). Na madrugada desta terça-feira (29), equipes tiveram muito trabalho para tentar conter as chamas no entorno da serra.

Novos reforços

Nessa última terça-feira (29), dois aviões chegaram no Aeroporto Internacional de Corumbá para ajudar nos reforços. Uma das aeronaves é um helicóptero da Polícia Militar de Minas Gerais. Ele será utilizados para transportes e voos de reconhecimentos de áreas.

Um outro avião, de pequeno porte, usado para pulverização, será usado no combate aos incêndios. Agora são dois aviões desse tipo. Esses aeronaves tem capacidade para transportar e lançar aproximadamente dois mil litros de água

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a previsão é que chegue mais uma aeronave nos próximos dias. O ponto base desses aviões vai variar de acordo com a necessidade da região do Pantanal que estiver pegando fogo.

Atualmente a base deles é no aeroporto de Corumbá. No local foram montadas piscinas onde esses aviões irão abastecer e depois voltar para os locais de incêndios.

Nesta terça-feira (29), as condições do tempo não eram favoráveis devido a densa fumaça, e por conta da falta de visibilidade, os aviões não conseguiram decolar.

Conforme o governo de MS, chegaram ao local militares de Jardim (MS), Maracaju (MS) e Campo Grande (MS), além de brigadistas do Piauí, Bahia e Pernambuco. Também está previsto para os próximo dias a chegada de militares do Distrito Federal e de Santa Catarina.

Por Flávio Dias/G1MS e Caio Tumelero/TV Morena — Campo Grande