Morto em academia treinava desde início do mês e deve ser sepultado em SP - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

29/09/2020

Morto em academia treinava desde início do mês e deve ser sepultado em SP

Alex Gomes Diniz, de 34 anos, caiu quando foi pegar água. Ele infartou, foi socorrido, mas morreu em academia

Testemunhas que malhavam na academia quando ocorreu a fatalidade ©DR
O corpo de Alex Gomes Diniz, de 34 anos, será levado para sepultamento no distrito de Primavera, no Estado de São Paulo. O rapaz infartou e morreu na noite de ontem, durante treino em uma academia do bairro Aero Rancho, na Capital.

Alex treinava desde o dia 3 de setembro na academia junto com a esposa. O casal não tinha familiares aqui em Campo Grande e sempre levavam a filhinha de 5 meses. No boletim de ocorrência, registrado por uma prima de Alex, consta que ele apenas fazia uma visita à academia quando passou mal, versão rebatida pelos instrutores, que confirmam que ele se exercitava e caiu quando seguia para beber água.

Funcionários da academia que pediram para não serem identificados. O instrutor que desde o início de setembro acompanhava o casal conta, ainda abalado, que Alex estava bem de saúde e não informou doenças ou uso de medicação.

"Eles começaram dia 3 e como vieram do Sul e estavam sozinhos aqui, a gente criou um vínculo. Eram alunos muito queridos", conta o instrutor da academia, formado em Educação Física.

Ainda na data de ontem, segundo o instrutor, ele não teria reclamado de nada nem na academia nem para a esposa. "Ela me gritou e eu saí correndo, levantamos as pernas dele. Eu e um aluno enfermeiro. Ele estava indo pegar água para você ter noção, passando pelo aparelho e foi caindo, olhando para a bebezinha dele", descreve o instrutor.

Em seguida, Alex teve a parada cardíaca e o instrutor iniciou a massagem. Os demais alunos, foram retirados da academia. "Chegou o socorro, foi mais de meia hora tentando massagem sem sucesso. Era um aluno super saudável, não aconteceu nada, nunca foi de reclamar de nada", diz o funcionário da academia.

Quanto ao histórico familiar, Alex contou anteriormente que o pai havia tido três AVC's, mas ele mesmo não tinha nenhum problema de saúde. Alex já treinava antes de ingressar na academia e não era sedentário.

Ainda conforme os instrutores de academia, ele nunca mencionou nenhuma dor ou complicação. "Tanto é que se tivesse algum problema a gente automaticamente toma as medidas para um treino específico, se o aluno se queixa de alguma coisa, ou tem alguma doença", frisam os instrutores.

A academia prestou socorro imediato e também deu assistência à esposa com a filhinha. Ela foi levada até um posto de saúde. O corpo deve seguir para o Estado de São Paulo na parte da tarde. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Paula Maciulevicius Brasil