ARTIGO| Acredite, você pode! Você consegue! - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

08/09/2020

ARTIGO| Acredite, você pode! Você consegue!

Por: Wilson Aquino*
Deus, na sua infinita bondade e sabedoria dotou todos os seus filhos de dons e talentos diversos, além da incrível capacidade de idealizar e concretizar os feitos mais extraordinários, mesmo àqueles sem nenhuma afinidade com a ação, porém é necessário que tenha garra, perseverança e determinação. Isto é inquestionável. Por isso não se justifica qualquer tentativa de contradizer essa lei, alegando que esta ou aquela pessoa não tem habilidade alguma. O indivíduo quando chega a esse impasse é porque não conhece seu próprio eu.

Dons e talentos dados a cada um sempre estarão lá, à espera do próprio indivíduo descobri-los, por intermédio do trabalho. Não há como conhece-los se o indivíduo não se esforçar para trazê-los à tona. É necessário que se dê o melhor de si para fazer aflorar todo talento concedido como uma bênção a absolutamente todos os indivíduos.

Ocorre que muitos ficam tão fascinados com os dons dos outros que não conseguem olhar para si próprio para descobrir suas próprias aptidões e talentos para aceita-los e amá-los, sejam eles intelectuais, físicos, manuais...

Isso não significa que pelo fato do indivíduo não possuir habilidade para determinada ação como cantar, tocar um instrumento, memorizar, com maestria, ele não possa, com muito esforço e dedicação, conseguir sucesso no domínio de qualquer outra ação, desde que, insisto, se esforce excepcionalmente para isso.

Deus também concedeu ao homem inteligência e sabedoria para alcançar sim os mais elevados patamares e proezas na vida, mesmo que o indivíduo não tenha nenhum talento para atingir esses objetivos.

Se todos chegassem a essa conclusão, de que tudo realmente é possível fazer e alcançar desde que se esforce suficientemente para isso, certamente teríamos um mundo muito melhor, com um número muito maior de pessoas e famílias bem-sucedidas em todos os sentidos, profissionalmente e economicamente inclusive.

Gosto muito da história de perseverança de Hebert J. Grant, o 7º presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Quando jovem e durante toda sua vida mostrou uma determinação incomum de cumprir metas. Sendo filho único de uma viúva, ficou um pouco afastado das atividades dos meninos de sua idade. Quando tentou entrar para a equipe de basquete, riram dele por causa de sua falta de jeito e inabilidade para o esporte. Foi então, recusado.

Em vez de sentir-se desencorajado, passou muitas horas treinando insistentemente o arremesso de bola até que, finalmente entrou em outra equipe que ganhou vários campeonatos locais.

Quando criança também, decidiu que ia ser guarda-livros depois de saber que poderia ganhar muito dinheiro com essa profissão. Mais do que engraxando sapatos. Naquela época para ser guarda-livros exigia-se ótima caligrafia, mas a sua era tão ruim que os amigos diziam que sua letra mais se parecia com as marcas de pés de galinha. Mais uma vez, não se abateu. Passou horas e horas treinando caligrafia. Hebert J. Grant tornou-se conhecido por sua bela letra e acabou ensinando caligrafia numa Universidade, além de ser muitas vezes solicitado para escrever documentos importantes.

O Senhor sabe que somos capazes de multiplicar nossos talentos. Afinal, Ele é o Nosso Criador e Nos deu essa capacidade. Entretanto, todos temos o livre arbítrio para lutar ou não para granjear novas habilidades.

As Escrituras Sagradas comprovam muito bem isso. Na conhecida “Parábola dos Talentos” (Mt. 25:14-30) o Senhor nos ensina que devemos nos esforçar para multiplicar o que Ele deu a cada um. Conta que “um homem que, partindo para fora da sua terra, chamou os seus servos e entregou-lhes os seus bens; E a um deu 5 talentos, e a outro, dois, e o outro, um, a cada um segundo a sua capacidade...”

No final, aquele que recebeu cinco, conquistou mais cinco talentos. Da mesma forma, o que recebeu dois, também os multiplicou, granjeando outros dois. Porém, o que recebeu um, temeu perdê-lo e enterrou-o. O Senhor o chamou de “mau e negligente servo”.

Descobrir, fortalecer e multiplicar dons e talentos para serem usados em benefício da coletividade é dever de todo indivíduo, que está aqui para crescer e se aperfeiçoar, sempre alicerçado em bons princípios morais e espirituais. Esse é o caminho da vida, da realização e da verdadeira e duradoura felicidade. Esse é o Plano de Deus.

*Jornalista e Professor.