Cartórios mostram que Campo Grande tem queda na média de mortes por coronavírus - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

24/08/2020

Cartórios mostram que Campo Grande tem queda na média de mortes por coronavírus

Há poucas semanas, a média era de 8 mortes por dia, mas média móvel da Capital chega a 6,4 mortes nesta segunda-feira
@Henrique Arakaki

Depois de um período de estabilidade no número de mortes por coronavírus, Campo Grande pode estar em fase de queda nos óbitos. Dados do Portal da Transparência do Registro Civil mostram que a Capital registra uma leve queda na média móvel de mortes nos últimos dias. Campo Grande estava com uma média de oito mortes por dia entre os dias 10 e 16 de agosto, mas a média móvel começou a passar por uma redução e chega a 6,4 mortes por dia nesta segunda-feira (24). 


A média móvel é um cálculo que leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias. Observar a média móvel é importante porque analisar os números do coronavírus isoladamente pode levar ao engano. Dados do boletim epidemiológico estadual mostram que Campo Grande apresentou 284 casos dos 567 relatados no boletim nesta segunda-feira (24). Com isso, a média móvel de novas infecções está em 387 casos por dia, nos últimos 7 dias. 

Em relação aos óbitos, a média móvel foi de 6,4 mortes diárias no mesmo período, com 152 óbitos registrados em agosto, contra 132 em julho, 5 em junho, 5 em maio e 2 em abril.

Ainda nesta segunda (24), o titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende, disse que a macrorregião de Campo Grande atingiu uma taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) considerada confortável.

Estudo da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) também indicou que Campo Grande pode vivenciar uma queda no número de mortes em breve. Os pesquisadores analisaram os dados em Campo Grande entre os dias 9 e 17 de agosto, onde perceberam que a pandemia em Campo Grande apresentou um cenário de estabilidade, já que estava com uma média de sete mortes por dia. A Capital deve chegar ao pico da pandemia nesta terça-feira (25), mas depois a tendência é de que o número de casos diminua.

Fonte: Mídiamax