Bolsonaro simula interceptação de aeronave, celebra o agro e aglomera com fãs - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

18/08/2020

Bolsonaro simula interceptação de aeronave, celebra o agro e aglomera com fãs

Pelo menos 400 pessoas acompanharam discurso do chefe de Estado no pátio do aeroporto

Sem máscara, presidente Jair Bolsonaro festeja com apoiadores em Corumbá ©Marcos Maluf
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não abandonou a conduta que tem apresentado durante a pandemia de novo coronavírus e festejou de perto seus apoiadores, hoje (18), no aeroporto de Corumbá.

Pelo menos 400 pessoas acompanharam o discurso do chefe de Estado, que se aproximou da multidão, sem máscara, e cumprimentou fãs. Gritos de “mito” e até “eu te amo, Bolsonaro” ecoaram.

Corumbá se aproxima dos 2 mil casos confirmados de novo coronavírus e é vice-líder em mortes no Estado, com 74. O uso de máscara é obrigatório por decreto na cidade. A imprensa permaneceu ilhada em cercadinho no pátio e não pôde dirigir perguntas ao presidente.

Bolsonaro desembarcou por volta das 10h, acompanhado pelos ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Agricultura, Tereza Cristina. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) esperava o visitante ilustre no pátio.
Bolsonaro com Tereza Cristina e Reinaldo Azambuja ©Marcos Maluf
O presidente protagonizou simulação da operação dos radares, cuja inauguração foi o pretexto para a visita ao Estado. No procedimento, suposta aeronave invasora é interceptada pela caçadora, que se aproxima, pede informações e checa os dados. Se irregular, o avião é persuadido a pousar para evitar o abate. A decisão pelo tiro de interceptação é uma prerrogativa do presidente, mas delegada ao comandante da aeronáutica.

A simulação em Corumbá envolveu atores, que, após pouso forçado, foram “presos” em solo pela Polícia Federal, para delírio do público presente.

Depois da demonstração, Bolsonaro fez breve discurso e exaltou o agronegócio “que não parou” e que “não teve lockdown”, segundo ele. Pelo contrário, “bateu recordes”.

O presidente fez afagos à ministra Tereza Cristina (Agricultura), sul-mato-grossense e presente no evento em Corumbá.

O deputado federal Luiz Ovando (PSL-MS) também foi exaltado pela defesa ao uso da hidroxicloroquina, “para que vidas fossem salvas”, comentou Jair Bolsonaro.

Ainda ao microfone, o chefe de Estado citou Nioaque, onde serviu ao Exército por três anos. Ele visita a cidade ainda hoje.
Jair Bolsonaro cumprimenta fãs espremidos na grade do cercadinho ©Marcos Maluf
O presidente também não escapou dos deslizes já comuns ao confundir, por mais de uma vez, Mato Grosso do Sul com o vizinho, Mato Grosso.

Jair Bolsonaro almoça em Corumbá, em menu que conta com coxinha de jacaré, filé de pintado ao molho de urucum e pudim de bocaiuva com crocante de baru.

Depois, segue para Campo Grande, onde participa de evento da FAB (Força Aérea Brasileira) na Ala 5, antiga Base Aérea. Depois, passa por Nioaque e também por Maracaju.

Radares - O conjunto de equipamentos inaugurados pelo presidente são capazes de detectar aeronaves em um raio de 450 quilômetros e em baixa altitude, como costumam voar aviões envolvidos com o tráfico internacional de drogas. Corumbá é porta de entrada para a rota da cocaína.

O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, disse, em comunicado à imprensa, que a Força Aérea está “constantemente buscando novas soluções e tecnologias para melhorar o trabalho prestado ao País” para “controlar, defender e integrar 22 milhões de quilômetros quadrados”.

O radar inaugurado em Corumbá é do modelo LP23SST-NG e fabricado pela empresa Omnisys, em São Bernardo do Campo (SP). O equipamento é parte de uma nova geração de radares primários de longo alcance.
População acompanha visita presidencial do lado de fora do aeroporto; ao fundo, estação de radares inaugurada ©Marcos Maluf
A estação também tem um radar secundário, modelo RSM970S, que busca informações de identificação e altitude das aeronaves.

Caracterizado por uma cúpula branca, a estação é protegida de interferências eletromagnéticas.

O sistema é fruto de iniciativa anunciada ainda em 2018, pelo então ministro da Justiça do governo de Michel Temer, Raul Jungmann. O pacote previa três radares - em Corumbá, na fronteira com a Bolívia, em Ponta Porã e em Porto Murtinho, vizinhas ao Paraguai. O investimento soma R$ 150 milhões.

Presente no evento, o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Antonio Carlos Videira, disse que Mato Grosso do Sul já apreendeu 467 toneladas de entorpecentes só este ano.

Ainda este mês, a FAB interceptou bimotor com 700 quilos de cocaína, em Ivinhema, região sudeste do Estado.

Conforme Videira, com a ativação da estação de radares em Corumbá, as forças estaduais de segurança vão reforçar a fiscalização por água e terra. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Jones Mário e Aline dos Santos, de Corumbá