SOLIDARIEDADE| AACD e Instituto Caça-Fome recebem doações da JBS - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

15/07/2020

SOLIDARIEDADE| AACD e Instituto Caça-Fome recebem doações da JBS

Ação integra o programa de responsabilidade social da empresa, “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade”

©DIVULGAÇÃO
A JBS, por meio do seu programa de responsabilidade social “Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade", doou cerca de 230 mil equipamentos de proteção individual (EPIs) à AACD - aventais, máscaras cirúrgicas e N95. A entrega foi realizada no sábado (11) na sede da instituição em São Paulo. No mesmo dia, a JBS doou 850 cestas básicas ao Instituto Caça-Fome, baseado em Barueri, região metropolitana de São Paulo.

As doações de EPIs e alimentos são ações previstas no programa de responsabilidade social da JBS, que doará R$ 400 milhões contra a pandemia no Brasil, beneficiando mais de 200 municípios por meio de três frentes de atuação: saúde, assistência social e ciência. No Estado de São Paulo, a JBS fará a doação de R$ 39 milhões, sendo R$ 10 milhões para o Estado e R$ 29 milhões para 34 cidades paulistas, beneficiando mais de 18 milhões de pessoas.

“A JBS estruturou um programa dedicado a apoiar o país no enfrentamento a pandemia do novo coronavírus. Como empresa cidadã é muito significante poder contribuir com quem mais precisa. A doação dos EPIs e das cestas básicas vai beneficiar milhares de pessoas”, diz Jérson Nascimento, diretor de Suprimentos América do Sul da JBS.

"Estamos vivenciando um período desafiador no país e no mundo, que impacta diretamente no dia a dia dos profissionais de saúde da nossa instituição, além dos próprios pacientes. O apoio de empresas com ações de enfrentamento do coronavírus é essencial neste momento, pois é somente com a união de todos que conseguiremos seguir cumprindo nossa missão, que é cuidar de pessoas com deficiência com toda a segurança necessária. Somos muito gratos à JBS por essa tão importante para o nosso trabalho", comenta Edson Brito, superintendente de Marketing e Relações Institucionais da AACD.
©DIVULGAÇÃO
"Entregamos até o momento, em menos de 90 dias, 300 toneladas de alimento. Com a ajuda da JBS mais 850 famílias serão alimentadas nessa pandemia", ressalta Daniel Ribeiro, fundador da Caça-Fome.

“Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade”

Os R$ 400 milhões que serão doados pela JBS contra a pandemia no Brasil serão aplicados nas três frentes de atuação do programa – saúde, assistência social e ciência. A estimativa é que mais de 63 milhões de pessoas sejam beneficiadas com as ações.

A alocação dos recursos considera um diagnóstico feito com sistemas de saúde municipais e estaduais e incluiu entrevistas e análise de dados. Essas informações foram avaliadas por especialistas dos três comitês independentes do programa da JBS nas áreas de saúde, social e ciência e que, com larga experiência em seus respectivos setores de atuação, apoiaram na definição das ações e projetos atendidos.

Saiba mais sobre o programa no site jbs.com.br/fazerobemfazbem.

Sobre a JBS

A JBS é uma das líderes globais da indústria de alimentos e conta com uma plataforma global de produção diversificada por geografia e por tipos de proteína. A Companhia conta com mais de 240 mil colaboradores, em unidades de produção ou escritórios em todos os continentes, em países como Brasil, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, China, entre outros – no Brasil são mais de 130 mil colaboradores, sendo a empresa uma das maiores empregadoras privadas do país.

No mundo todo, a JBS oferece um amplo portfólio de marcas reconhecidas pela excelência e inovação: Friboi, Moy Park, Pilgrim’s Pride, Primo, Seara, Swift, Gold’n Plump, entre outras. São mais de 275 mil clientes atendidos em todo o mundo, de 190 nacionalidades. Com foco em inovação, essa diretriz se reflete também na gestão de negócios correlacionados, como couros, biodiesel, colágeno, higiene pessoal e limpeza, envoltórios naturais, soluções em gestão de resíduos sólidos, reciclagem, embalagens metálicas e transportes.

A Companhia conduz suas operações com foco na alta qualidade e na segurança dos alimentos e adota as melhores práticas de sustentabilidade em toda sua cadeia de valor. Por meio do uso de imagens de satélite, mapas georreferenciados e dados públicos oficiais, a JBS monitora seus fornecedores de forma permanente. As melhores práticas de Bem-Estar Animal guardam estreita relação com o sucesso das operações da JBS, que trata o tema com extremo rigor e tem investido cada vez mais no aprimoramento de ações que sigam as melhores práticas de mercado.

Sobre a AACD

Fundada em 1950, a AACD possui uma infraestrutura completa dedicada à reabilitação e habilitação de pessoas com deficiências físicas e necessidades ortopédicas – composta por um hospital ortopédico, nove unidades de reabilitação e cinco oficinas para fabricação de produtos ortopédicos. Em 2019, realizou mais de 880 mil atendimentos especializados para pacientes de todas as idades, via SUS, particular e convênios, entregou 61 mil produtos ortopédicos e fez cerca de 7.500 cirurgias ortopédicas. Conta ainda com a área de Ensino e Pesquisa, que dissemina os conhecimentos adquiridos ao longo de sua história aos profissionais de todo o País, e com a AACD Esporte, que contribui, por meio da prática esportiva, para a inclusão da pessoa com deficiência. Acesse: aacd.org.br.

Sobre o Instituto Caça-Fome

O Instituto Caça-Fome foi criado em abril de 2020 para socorrer pessoas em situação de risco ou vulnerabilidade através da distribuição de alimentos (cestas-básicas emergenciais) e máscaras de proteção contra o Coronavírus. O programa foi fundado e é gerido pelo empresário paulista Daniel Ribeiro, do ramo de incorporação, proprietário da empresa GD8 Incorporadora.

O empresário desenvolveu um sistema de atendimento à população que teve seu risco de segurança alimentar agravada pelo advento do Coronavírus. Essa metodologia permite identificar os casos mais urgentes de pessoas necessitadas e faz chegar até eles o alimento na forma de cesta-básica emergencial.
©DIVULGAÇÃO

ASSECOM