Relógio da Estação Ferroviária de Campo Grande volta a funcionar - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

16/07/2020

Relógio da Estação Ferroviária de Campo Grande volta a funcionar

©IPHAN
Durante décadas, era para ele que os transeuntes de passagem pela Estação Ferroviária de Campo Grande (MS) direcionavam seus olhares. Numa relação quase magnética, o avançar de seus ponteiros tinha o poder de aliviar ou atenuar os sentimentos daqueles que esperavam a chegada ou a partida de alguém. Ele, o relógio, continuava ali, no topo daquele edifício secular, num movimento contínuo que marcava o passar dos dias, meses e anos. E por ironia de seu próprio ofício, com o passar do tempo, o desgaste de suas ferramentas de trabalho o paralisou por quase uma década. 

Relógio Estação Ferroviária de Campo Grande-MS

Entretanto, uma iniciativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Mato Grosso do Sul (Iphan-MS) buscou reativar novamente a história e memória desse elemento que integra a Estação Ferroviária de Campo Grande, reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro em 2009. Com investimentos de cerca de R$ 40 mil, o reparo e a manutenção do relógio colocaram este símbolo cultural da cidade em pleno funcionamento, compondo a bela área histórica de Campo Grande. 
©IPHAN
O projeto executado pelo Iphan-MS realizou a reativação do equipamento com a troca do mostrador e da máquina do relógio e, acompanhando a modernidade, também foi instalado um sistema de retro iluminação a partir de um dispositivo timer. Assim, quando anoitecer, o relógio continuará visível e em destaque, cumprindo seu papel de informar o avançar das horas. 

A sua casa, a Estação Ferroviária, também ganhou tratamento de esquadrias e pintura nas fachadas. Tudo para realçar e inspirar visitações a esse grandioso monumento inaugurado no dia 06 de setembro de 1914 e que compõe o conjunto do Complexo Ferroviário Histórico e Urbanístico da Antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. 

Estação Ferroviária de Campo Grande

O Complexo Ferroviário, incluindo as edificações, trilhos e viadutos, foi tombado em dezembro de 2009 pelo Iphan com o objetivo de manter viva a história que este importante conjunto representa para o desenvolvimento de Campo Grande. A chegada dos trilhos da Ferrovia Noroeste do Brasil foi um dos acontecimentos mais importantes da história da cidade. Ao redor da estação foram construídos escritórios, oficinas, armazém, rotunda de manutenção, caixa d'água, escola e residências, formando o Complexo Ferroviário, conjunto que expressa os modos de vida e trabalho da época de sua construção, ao longo da primeira metade do século passado.

Por: Mécia Menescal / Ascom Iphan