Com obras concluídas, Pronto Socorro de Maracaju deverá ser inaugurado nas próximas semanas - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

07/07/2020

Com obras concluídas, Pronto Socorro de Maracaju deverá ser inaugurado nas próximas semanas

©DIVULGAÇÃO 
Outra unidade de saúde em construção é a maternidade municipal; custo estimado da obra é de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 500 mil de emenda parlamentar, do então deputado Resende, e R$ 1 milhão de contrapartida do Governo do Estado

Campo Grande (MS) – Estão concluídas as obras de construção do Pronto Socorro de Maracaju, anexo ao Hospital Soriano Corrêa da Silva. A inauguração deverá ser marcada para as próximas semanas pelo prefeito Maurílio Azambuja e pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

A construção foi custeada com recursos de emendas parlamentares de Geraldo Resende (ainda na condição de deputado federal) e do então senador Waldemir Moka, além de contrapartida da Prefeitura de Maracaju. Do total de quase R$ 3 milhões para a edificação, R$ 900 mil são oriundos de emenda individual de Geraldo Resende, outros R$ 900 mil foram viabilizados por Waldemir Moka e R$ 906 mil são recursos da Prefeitura de Maracaju.

Para os equipamentos, o secretário Geraldo Resende destinou uma emenda de R$ 500 mil, ainda como parlamentar, e o Governo do Estado repassou R$ 850 mil. Segundo Geraldo Resende, a unidade vai suprir a demanda absorvida pelo Hospital Municipal, já que Maracaju, até o momento, não possui uma unidade de saúde 24 horas.

Estrutura

O Hospital Soriano Corrêa da Silva presta cerca de 3,5 mil atendimentos por mês, além de realizar 170 cirurgias/mês. O Pronto Socorro tem 1.200 metros quadrados de área construída e será dotado de 11 leitos de observação, além de toda a estrutura da urgência e emergência. A unidade foi construída com estrutura adequada para abrigar enfermarias para internações de curta duração.


A construção consistiu basicamente em três partes: entrada com triagem, consultórios/salas de exame e área de internação. A parte de entrada é composta pela sala de espera, sala de apoio, recepção, sala de arquivo, sanitários feminino e masculino e sala de classificação de risco. A parte referente aos consultórios/salas de exame constitui em consultório/sala de exame e sanitários.

A ala de internação constará de enfermarias com os respectivos sanitários, posto de enfermagem, antecâmara de pré e salas de internação. As áreas comuns constarão de áreas de circulação, de ventilação e iluminação, sala de múltiplo uso, jardim de inverno-solarium, sala de plantonista com sanitário, DML (Depósito de Materiais de Limpeza) e copa.
Estrutura da Unidade Hospitalar de Maracaju
Maternidade

Outra unidade de saúde que vai ampliar o atendimento médico em Maracaju é a maternidade municipal. O custo estimado da obra é de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 500 mil de emenda parlamentar do então deputado Resende e R$ 1 milhão de contrapartida do Governo do Estado em emendas de Geraldo Resende.

A nova maternidade vai melhorar a qualidade do atendimento de mulheres e crianças recém-nascidas. A estrutura será ampla e moderna, com 515,25 metros quadrados de área construída e destaque para três salas pré e pós parto, com banheiro e jardim de inverno; três salas de enfermagem; duas salas pós-enfermagem com banheiro; um jardim de inverno coletivo, dois consultórios ginecológicos com banheiros; uma sala de mamografia; e uma sala de múltiplo uso.

Na avaliação do secretário Geraldo Resende, a nova maternidade dará um salto de qualidade no atendimento. Ele explica que a implantação da maternidade é resultado de uma parceria de trabalho com o governador Reinaldo Azambuja e prefeito Maurílio Azambuja. “Maracaju atende várias cidades vizinhas e a estrutura atual já não comporta a demanda. Queremos oferecer mais qualidade no atendimento para mulheres e crianças recém-nascidas”, destaca.

Por: Ricardo Minella/SES