Deputado Cabo Almi homenageia Bombeiros pelo seu dia e cobra da Sanesul e Energisa congelamento de tarifas - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

02/07/2020

Deputado Cabo Almi homenageia Bombeiros pelo seu dia e cobra da Sanesul e Energisa congelamento de tarifas

©ARQUIVO
Na sessão virtual desta quinta feira (2), o deputado Cabo Almi (PT) fez eloquentes elogios e agradecimentos aos Bombeiros pela passagem do seu dia que se comemora na data de hoje em todo o Brasil. 

Na sequência o parlamentar reiterou as solicitações que fez nas sessões de terça e quarta feira desta semana, para que as concessionárias de serviços públicos de água (Sanesul) e energia elétrica (Energisa) suspendam os estudos que levarão a um novo aumento de tarifas e os reajustes já anunciados, respectivamente. 

No primeiro requerimento, Cabo Almi cobra do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), do presidente da SANESUL, Walter Carneiro Junior, do Diretor-Presidente da AGEPAN - Agencia Reguladora de Serviços Públicos do MS, Yussef Assis Domingos, a suspensão dos estudos que estão sendo feitos para se aplicar novos reajustes, onerando a vida dos consumidores de água e esgoto de Mato Grosso do Sul. 

No segundo requerimento, o pedido é endereçado ao presidente da Energisa , Marcelo Vinhais Monteiro, para que seja reconsiderado e suspenso o reajuste da tarifa de energia, anunciado pela empresa para vigorar já a partir do dia 1º de julho. 

Cabo Almi disse que continua aguardando uma resposta positiva das autoridades para que seja transmitido aos consumidores o congelamento das tarifas de água, esgoto e energia elétrica no Mato Grosso do Sul neste período de pandemia que estamos atravessando.

Nota | Energisa

A Energisa informa que o processo de reajuste tarifário anual é regulado pela Aneel e previsto no contrato de concessão da empresa. Depois de postergado por 90 dias, a pedido da concessionária em virtude da pandemia, a aplicação do aumento na tarifa entrou em vigor no dia de 1º de julho, conforme aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica.


Os consumidores terão um reajuste médio de 6,90% e a maior parcela se deu por conta dos custos de transmissão e geração de energia, além de encargos e impostos.


ASSECOM