Restruturação da Saúde garante nove hospitais no interior de MS - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

08/06/2020

Restruturação da Saúde garante nove hospitais no interior de MS

Obras do Hospital Regional de Nova Andradina estão avançadas
Com obras organizadas em hospitais de nove cidades do interior, o cronograma da regionalização da saúde em Mato Grosso do Sul segue em execução pelo Governo do Estado mesmo diante da pandemia de Covid-19. Sem perder o fôlego dos investimentos na reestruturação da rede hospitalar, o Estado segue aplicando dinheiro em obras de construção, reforma e ampliação de prédios hospitalares. 

“Estamos melhorando as estruturas dos hospitais e equipando os polos regionais, com mais leitos e aparelhos para exames complexos, tudo para modernizar os serviços e ampliar o atendimento às pessoas. Com diálogo frequente com os prefeitos e lideranças de cada região, definimos a melhor política pública para a saúde de Mato Grosso do Sul”, destaca o governador Reinaldo Azambuja.

Novos hospitais regionais em Três Lagoas e Dourados vão ampliar o atendimento à saúde de 43 municípios que formam as duas macrorregiões. No Bolsão, a obra de construção do Hospital Regional de Três Lagoas está na fase final e deve ser concluída no próximo dia 28. O Governo estuda o modelo de gestão da unidade e planeja a aquisição de equipamentos. Em Dourados, a edificação do prédio está no início e tem previsão de conclusão no segundo semestre de 2021.
Hospital Regional de Três Lagoas está na fase final das obras

Hospital Regional de Dourados deve ser concluído no fim de 2021
Em outras regiões, como Bodoquena, Caarapó, Corumbá, Jardim, Maracaju, Nova Andradina e Ponta Porã, reformas e ampliação de estruturas hospitalares vão modernizar ainda mais o oferta de serviços. Equipamentos para ressonância magnética, mamografia, ultrassom e endoscopia vão reforçar os procedimentos médicos em todas as regiões.

“Nossa tarefa, em parceria com os gestores municipais, é colocar a saúde cada vez mais próxima dos cidadãos. Seguindo a determinação do governador Reinaldo Azambuja, estamos caminhando na estruturação da rede hospitalar do Estado, viabilizando construções, reformas e ampliações, bem como a compra de equipamentos para que as unidades possam assumir, com competência, as atribuições de cada uma delas no processo de regionalização, em andamento”, explicou o secretário de saúde, Geraldo Resende. 

Na semana passada, a Prefeitura de Bodoquena autorizou o início de obras no Hospital Municipal Francisco Sales. Com R$ 1 milhão de investimentos, serão reformados os setores de nutrição, recepção, laboratório, centro cirúrgico e Central de Material e Esterilização. Haverá ainda a ampliação no Pronto Atendimento Médico, no setor de nutrição e na lavanderia. A obra deve durar oito meses.

Em Caarapó, a obra de reforma e ampliação do Hospital Beneficente São Mateus terá investimento de R$ 2 milhões. Também na semana passada, extrato de contrato com a empresa selecionada para a obra foi publicado em diário oficial. Os investimentos vão possibilitar a construção de novas salas de emergência, observação masculina e feminina, sala pediátrica, sala para curativos, sala de gesso.
Na semana passada, foi autorizada início das obras no hospital de Bodoquena
Na cidade de Corumbá, a estrutura do novo complexo de saúde pública recebe R$ 12 milhões de investimentos. Anexa ao centenário Hospital de Caridade, a construção do novo Pronto Socorro da Santa Casa contará com alas de triagem, emergência, ambulatório, receptivo e enfermaria, além do setor com 30 leitos. Os investimentos ampliam a estrutura do único hospital de uma região com 200 mil habitantes, incluindo Ladário.

Jardim também conta com recursos para o Hospital Marechal Rondon. A unidade encontra-se em obras de reforma e ampliação, também bancadas pelo Estado, com recursos de R$ 4,1 milhões, com uma das etapas já em fase final. Outros R$ 1 milhão serão aplicados na compra de equipamentos para o correto funcionamento da unidade.

Também na região Sudoeste, Maracaju vive a expectativa de ter ainda em 2020 uma maternidade nova e moderna para atendimento de mulheres e crianças recém-nascidas. Iniciada em novembro passado, a construção da clínica de especialidades médicas segue cronograma de obra, que prevê a conclusão do prédio no 2° semestre deste ano. Depois de pronta, a unidade hospitalar terá 525 m² de área construída, distribuídos entre salas de pré e pós-parto, enfermagem, pós-enfermagem e mamografia, além de consultórios ginecológicos.

Com investimentos municipais, estaduais e federais que ultrapassam R$ 7 milhões, o Hospital Regional “Francisco Dantas Maniçoba”, de Nova Andradina, está recebendo obras de modernização em toda sua estrutura, para atender a população local e dos municípios da região. Para tanto, está sendo construída uma UTI Neonatal, um Banco de Leite, Unidade de Cuidados Intermediários e Centro de Diagnóstico por Imagem, que permitirá à população acesso a exames de Raios-X, tomografia computadorizada e ultrassonografia.

Na região Sul-Fronteira, Ponta Porã será beneficiada com ampliação de enfermarias cirúrgicas no Hospital Regional Dr. José de Simone Netto – que representa mais de R$ 2 milhões em investimentos de recursos estaduais e federais. A unidade é gerida pelo Instituto Acqua, organização social que atua na área de saúde.

Por: Bruno Chaves