Polícia derruba esquema de agiotas colombianos que cobravam juros de 20% em MS - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

08/06/2020

Polícia derruba esquema de agiotas colombianos que cobravam juros de 20% em MS

Durante as ações, foram apreendidos cerca de R$ 20 mil e diversos comprovantes de envio de dinheiro para a Colômbia

Policiais apreenderam R$ 20 mil e também cadernos de anotações com movimentações financeiras da quadrilha
Investigações da Polícia Civil identificaram esquema de agiotagem em que eram cobrados juros de até 20% por dia em Dourados – a 233 quilômetros de Campo Grande. Um grupo de colombianos liderava os negócios ilegais e foram alvos de mandados de busca e apreensão. Durante a ação, foram apreendidos R$ 20 mil e seis pessoas acabaram na delegacia.

A chamada de Operação Colômbia, ocorreu na sexta-feira, dia 5 de junho. As investigações começam depois que policiais da Defron (Delegacia Especializada de Repreensão aos Crimes de Fronteira) receberam denúncias sobre o esquema de agiotagem na cidade.

Os autores, todos colombianos, empresavam dinheiro com taxas exorbitantes para pequenos comerciantes de Dourados. Segundo a investigação, eram cobrados 20% de juros por dia. Três endereços usados pelo grupo foram identificados e vistoriados pela polícia na semana passada, por força de mandados de busca e apreensão.

Nos locais foram apreendidos cerca de R$ 20 mil e diversos comprovantes de envio de dinheiro para a Colômbia. Os policiais encontraram ainda cadernos com anotações de controle financeiro, cartões de publicidade e panfletos, e descobriram que parte dos registros de empréstimos e recebimentos eram feitos através de um aplicativo de celular.

Durante a ação, seis colombianos foram levados para a delegacia. Eles prestaram depoimentos e foram indiciados por “crime contra a economia popular, na modalidade de usura pecuniária”, ou seja, agiotagem.

Conforme a polícia, o mesmo esquema é aplicado também em outros estados brasileiros, como São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Ceará. Em Dourados, a orientação é que as vítimas da quadrilha procuram a Defron para prestar esclarecimento e auxiliar as investigações. 

Fonte: CAMPO GRANDE NEWS
Por: Geisy Garnes e Helio de Freitas