Em 3 semanas, JBS já alocou R$ 320 milhões em doações - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

09/06/2020

Em 3 semanas, JBS já alocou R$ 320 milhões em doações

Empresa vai doar R$ 400 milhões no enfrentamento da Covid-19 no Brasil; Ajuda chegará a todas as regiões do país e envolvem 197 municípios de 18 estados mais o Distrito Federal


Em menos de um mês desde seu lançamento, um dos maiores programas de solidariedade para o enfrentamento do coronavírus no Brasil já tem 80% de seus recursos empenhados.

Dos R$ 400 milhões que serão doados pela JBS contra a pandemia no Brasil, R$ 320 milhões estão com destino certo e serão aplicados nas três frentes de atuação do programa - saúde, assistência social e ciência. A estimativa é que mais de 63 milhões de pessoas sejam beneficiadas com as ações.

Os recursos chegarão a 197 cidades brasileiras de 18 estados mais o Distrito Federal e serão entregues em bens e serviços segundo as necessidades de estados e municípios. Em São Paulo, por exemplo, a Companhia doou o serviço de fisioterapeutas para a operação de respiradores. A JBS providenciou o fretamento de um avião para trazer da China equipamentos e medicamentos para outra capital do Sudeste. Em Salvador, doará o custeio de parte da segunda tenda do hospital de campanha.

A alocação dos recursos se baseia em diagnóstico feito com sistemas de saúde municipais e dos estados atendidos e incluiu entrevistas e análise de dados. Essas informações foram avaliadas por especialistas dos três comitês independentes do programa da JBS nas áreas de saúde, social e ciência e que, com larga experiência em seus respectivos setores de atuação, apoiaram na definição das ações e projetos atendidos.

Entre os recursos com maior demanda emergencial, destacam-se os equipamentos de proteção individual (EPIs) e hospitalares, além das cestas básicas. Até o momento foram compradas 405.772 cestas (total de R$ 23,5 milhões). Em EPIs, são 15,846 milhões de unidades para mais de 500 hospitais e centros de saúde.

Um tipo de insumo em especial tem servido ao atendimento das emergências de saúde pública e social: os itens de higiene e limpeza. Doados tanto a famílias carentes como a hospitais, são mais de 400 mil frascos de álcool líquido, álcool em gel, água sanitária, sabonete líquido e desinfetantes hospitalares. Também serão doadas máscaras de tecido para vários municípios, incentivando a prevenção da doença e contribuindo com as economias locais, já que a empresa optou, nesse item, por fornecedores das regiões a serem ajudadas.

LEGADO PERMANENTE

Com o propósito de deixar um legado permanente, destaca-se a construção de dois hospitais modulares: em Ceilândia, no Distrito Federal, e em Porto Velho, Rondônia. Projetos a cargo da Brasil ao Cubo, responsável pela entrega dos hospitais semelhantes no M’Boi Mirim (São Paulo) e em Porto Alegre (RS). O prazo médio de entrega das instalações é de 30 a 45 dias.

Para suprir a falta de equipamentos no tratamento dos casos mais graves de Covid-19, a Companhia já aplicou, até o momento, R$ 72,9 milhões na compra de aparelhos hospitalares. Em aproximadamente 30 dias, começarão a ser enviados os leitos, equipamentos e EPIs a mais de 100 mil profissionais da saúde. Por meio de EAD, uma equipe de profissionais fornecerá treinamento para operação desses leitos.

O programa já conseguiu reservar 265 respiradores. Entre os itens mais requisitados estão monitores multiparâmetro, conhecidos como monitores de sinais vitais. Serão enviados 885 para 14 estados das cinco regiões do país. Destaque ainda para 1.775 camas clínicas e de UTI.

As 460 bombas de infusão, utilizadas para aplicação de medicação intravenosa, como sedativos, também tiveram grande demanda, a exemplo de 1.763 oxímetros (aparelhos que medem quanto de oxigênio o sangue do paciente transporta) e 3.402 termômetros clínicos. Completam a lista aspiradores de secreção, camas clínicas e de UTI, desfibriladores, macas de transporte, estetoscópios, tomógrafos, aparelhos de raio-X, ultrassons portáteis e eletrocardiógrafos. Também serão providenciadas pela empresa 47 ambulâncias.

Instituições de pesquisa com estudos em todo o país também receberão apoio, na busca de avanços científicos contra o coronavírus. Projetos sociais específicos, capazes de beneficiar diretamente 500 mil pessoas, também foram selecionados.

Todo esse trabalho vem sendo coordenado por Joanita Maestri Karoleski, ex-CEO da Seara, com um time de 30 colaboradores da JBS totalmente dedicado à iniciativa. A contribuição da Companhia também se estende pela utilização de sua estrutura pelo país. As consultorias Tyno, na área administrativa, e a Grant Thornton, na auditoria das doações, apoiam o projeto de forma pro bono.

Raio-X das doações até o momento
  • Construção de dois hospitais modulares: em Ceilândia, no Distrito Federal, e em Porto Velho, Rondônia.
  • 47 ambulâncias.
  • 1.775 camas clínicas e de UTI.
  • 15,846 milhões de unidades de EPIS para 150 cidades, totalizando R$ 52,1 milhões.
  • 265 respiradores.
  • 885 monitores multiparâmetros no valor de R$ 26,6 milhões para 55 cidades de 14 estados.
  • 460 bombas de infusão.
  • 400 mil frascos de álcool líquido, álcool em gel, água sanitária, sabonete líquido e desinfetantes hospitalares.
  • 407 mil máscaras de tecido para 18 municípios.
  • Prestação de serviço de 60 fisioterapeutas pulmonares.
  • R$ 8 milhões para organizações sociais sem fins lucrativos que atendem cerca de 500 mil pessoas no Brasil.
  • Disponibilização de recursos para 12 pesquisas científicas.
A PALAVRA DOS ESPECIALISTAS

*Joanita Maestri Karoleski, Fazer o Bem Faz Bem – O Brasil tem situações e necessidades muito específicas.

*Fernando Torelly, HCor – Qualificação na decisão sobre os recursos que chegarão às diferentes regiões do país.

*Roberto Kalil Filho, InCor – Os aportes da JBS estão permitindo algo que é vital para vencer uma pandemia: agilidade.

*Antonio Batista da Silva Junior, FDC – A doação da JBS é um apoio para quem necessita de ajuda imediata.

*Carla Duprat, Instituto InterCement – Milhões de pessoas serão beneficiadas agora e outros milhões hoje e no futuro.

*Carola Matarazzo, Bem Maior – Estamos apoiando pessoas em uma velocidade e potência transformadora.

*Celso Athayde, Cufa - Esse pacote social é um exemplo de engajamento e de solidariedade.

*José Medina Pestana, Unifesp – O engajamento de empresas como a JBS é fundamental; precisamos unir forças.

*Pedro Hallal, UFPel – Essa pandemia só será definitivamente vencida pela ciência.

*Sidney Klajner, Albert Einstein – A iniciativa da JBS deixará um importante legado para a saúde pública.

*Jérson Nascimento, Supply JBS – A capilaridade da JBS permite ao programa chegar a todo país para ajudar quem mais precisa.


ASSECOM/JBS