POLITICANDO| Por: Jota Menon - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

21/05/2020

POLITICANDO| Por: Jota Menon


AZEDOU 

O pau quebrou literalmente entre o secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, e o prefeito de Jardim, Guilherme Monteiro (ambos do PSDB). O clima azedou a partir da veiculação de um vídeo do secretário de Saúde acusando prefeitos do Sudoeste de terem visão tacanha e preferirem enviar pacientes a Campo Grande a terem leitos de UTI em suas cidades. 

RESPOSTA 

O problema é que todo mundo entendeu que o secretário estava se referindo ao prefeito de Jardim, Guilherme Monteiro que, como bom filho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Márcio Monteiro, não economizou palavras para responder o agora desafeto por meio de uma nota publicada em sua mídia social na qual classifica Resende de míope e descompromissado com os municípios. 

MIOPIA 

“O míope talvez seja o senhor secretário que, desde que se tornou titular da Secretaria de Saúde do Estado, nunca veio {a Jardim} fazer uma vistoria a uma obra tão linda e importante para nossa região como está ficando o Hospital Marechal Rondon” afirmou o prefeito. 

MIOPIA (1) 

O prefeito Guilherme afirmou que o secretário Geraldo Resende talvez seja tão míope que não consegue enxergar que não basta ter os leitos de UTI, mas, que se deve também ter as instalações adequadas, equipes intensivistas e, o que é principal, os recursos para custear tais leitos que a maioria das prefeituras brasileiras não têm. 

MIOPIA (2) 

Depois de lembrar que Resende disputou e perdeu a Prefeitura de Dourados e que ficou de suplente de deputado federal, Monteiro finaliza com um recado duro ao secretário de Saúde: “Um abraço, senhor, Geraldo Resende. Pode deixar que nós vamos tratar diretamente com o nosso governador Reinaldo Azambuja, pois, este, sim, multiplica”. Então, pano rápido! 

DEFINIÇÃO DE DOMINGO 

Domingo já foi dia de pescaria, já foi lembrado pela nostalgia das jovens tardes, mas eis que não há mais calendário que resista à falta de romantismo dos tempos. Domingo agora é dia de manifestar disposição de guerra. Não tem mais piquenique na Quinta da Boa Vista. É o dia nacional de histeria, gritaria e todas as rimas ruins da bagunça na rampa do palácio em Brasília. (Joaquim Ferreira dos Santos, em sua “Crônica de Segunda” em O Globo). 

PREVISÃO RUIM 

A exigência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) visando a ampliação do uso de cloroquina para pacientes com quadro leve do novo Coronavírus pode elevar a pressão por vagas em centros de terapia intensiva e provocar mortes em casa por arritmia, afirma o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. 

REAPARECEU 

Luiz Henrique Mandetta reapareceu no cenário da pandemia após a queda do gora também ex-ministro Nelson Teich. Em entrevista à Folha de S. Paulo, Mandetta que resultados iniciais de estudos que recebeu ainda no governo já indicavam riscos no uso do medicamento. 

INACREDITÁVEL 

Dois meses se passaram desde que o governo de São Paulo anunciou a primeira morte confirmada pelo Novo Coronavírus. Até agora, porém, quase um terço desses mortos não tem cor nas estatísticas nacionais. No total, 2.896 das 9.897 pessoas que faleceram até o dia 8 de maio tiveram sua raça ignorada na hora do registro, o equivalente a 29%. Quando se consideram as internações, a falta dessa informação é ainda mais recorrente, em 10.406 dos 27.086 hospitalizados (38%). 

ESSENCIAIS... 

Por meio de decretos, durante a pandemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro (sem partido) já classificou como essenciais 57 atividades, entre academias de ginástica, igrejas, lotéricas, construção civil e atividades industriais. Governadores e prefeitos têm questionado essas medidas do presidente e não as aplicam (ao menos em parte). 

... MAS, NEM TANTO! 

Há uma discussão entre especialistas sobre até onde vai o limite do poder do presidente na expansão de setores classificados como essenciais, o que deve ser determinado judicialmente. 

NOVO COMANDANTE 

O atual comandante do Departamento de Operações de Fronteira – DOF -, coronel Marcos Paulo Gimenez, deve assumir o comando-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, conforme informou na segunda-feira passada o site Midiamax. 

DESCANSO MERECIDO 

O atual comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, coronel PM Waldir Ribeiro Acosta, deixa o cargo e vai para Reserva Remunerada, uma espécie de pré-aposentadoria dos servidores militares. Na reserva Remunerada o policial pode ser convocado a voltar à ativa em caso de necessidade, o que não ocorre mais quando efetivamente se aposenta. 

VIVA O PORCO! 

Já estou com saudade de um futebolzinho de qualidade. É duro ter de aguentar a TV Globo reprisando joguinhos ordinários como o de domingo passado. Ainda bem que os estaduais de qualidade, como o Paulistão, logo estarão de volta. Viva o Porco!