‘Peladões da madrugada’ ignoram toque de recolher e correm pela Mata do Jacinto - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

12/04/2020

‘Peladões da madrugada’ ignoram toque de recolher e correm pela Mata do Jacinto

Trabalhador que voltava do serviço filmou dupla sem roupas por rua da região norte na madrugada deste domingo

Dupla foi flagrada correndo sem roupa por ruas da Mata do Jacinto ©João Matheus Rodrigues/Reprodução
“Essa quarentena tá mexendo com as pessoas”. Este era apenas um dos quase 400 comentários por volta das 8h deste Domingo de Páscoa (12) em um vídeo postado pelo internauta João Matheus Rodrigues às 0h05 e que, até a elaboração deste texto, já acumulava 1,3 mil compartilhamentos. O conteúdo: dois rapazes pelados correndo por ruas da Mata do Jacinto, na região norte de Campo Grande, em pleno toque de recolher desta noite.

O autor explicou que voltava do trabalho em uma conveniência quando se deparou com a cena insólita. Dois homens, totalmente nus, seguiam por vias desertas nos breves segundos da filmagem de João Matheus, que questionava o fato de estarmos em período de quarentena –o isolamento social decretado para o combate ao novo coronavírus (Covid-19) e que, entre as exigências, institui o toque de recolher das 22h às 5h a fim de se evitarem aglomerações.

“Só dei risada e gravei”, disse ele, confirmando não saber quem são os “famosos anônimos” no vídeo. “Mas acredito que era algum tipo de aposta. E acredito que eles estavam alcoolizados”, prosseguiu.

Coincidência ou não, o vídeo com os “peladões na madrugada” foi registrado horas depois de o prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciar a possibilidade de expansão do horário do toque de recolher, diante da redução da adesão dos campo-grandenses à quarentena –a taxa média da cidade, conforme monitoramento de celulares feito por uma empresa a pedido das administrações brasileiras, era de 53,8% até sexta-feira (10).

Confira abaixo o vídeo – que teve imagens distorcidas pela reportagem a partir do original postado pelo internauta.



Fonte: Midiamax
Por: Humberto Marques