ALCINÓPOLIS| Visita guiada debate arqueologia e conservação de arte rupestre no Município - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

13/02/2020

ALCINÓPOLIS| Visita guiada debate arqueologia e conservação de arte rupestre no Município

Evento será na sexta-feira, 14 de fevereiro, às 8h, no sítio arqueológico Templo dos Pilares

©DIVULGAÇÃO
Debater questões sobre preservação do patrimônio arqueológico e formar multiplicadores é o objetivo da visita guiada Templo dos Pilares – sob a perspectiva a Antropologia e Arqueologia, voltada para professores da rede pública. A ação será realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Mato Grosso do Sul (Iphan-MS) em parceria com a Prefeitura Municipal de Alcinópolis (MS). 

A atividade inclui a discussão de temas relacionados à arqueologia, à antropologia e à paisagem cultural, além da apresentação dos trabalhos de conservação da arte rupestre que vêm sendo realizados no sítio arqueológico. Dois técnicos do Iphan-MS irão orientar a visita e direcionar o debate nesta sexta-feira, 14 de fevereiro, às 8h, no sítio arqueológico Templo dos Pilares, em Alcinópolis.

O objetivo é esclarecer questões relacionadas à preservação do patrimônio arqueológico e mostrar como os educadores podem ser protagonistas nesse trabalho. A ideia é que os professores sejam multiplicadores de conhecimento relativo ao patrimônio arqueológico e fomentem o debate entre os alunos. A atividade de educação patrimonial está inserida nas ações do Projeto de Educação Patrimonial da Superintendência do Iphan-MS (Educa Iphan/MS).

Conservação

No mesmo dia, também serão iniciadas ações de conservação nos sítios Templo dos Palmares e Barro Branco I, além da capacitação de guias turísticos locais para que estes realizem a manutenção e a limpeza da área. O trabalho de campo, que resultará em um diagnóstico do estado de conservação dos sítios, segue até o dia 24 de fevereiro.

O objetivo da ação, que será executada por uma empresa contratada e supervisionada pelo Iphan-MS, é desacelerar o processo de degradação nos sítios arqueológicos. Serão feitas a remoção de ninhos de insetos, a consolidação de placas rochosas e a instalação de pingadeiras para desviar o percurso da água, pois esses agentes impactam diretamente os painéis de arte rupestre.

O valor investido pelo Iphan na ação foi de R$ 67,4 mil e o término do contrato está previsto para maio de 2021. Outras cinco etapas compõem o cronograma e todas serão supervisionadas pela área técnica de arqueologia do Iphan-MS.

O sítio arqueológico

Inserido no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos (CNSA/Iphan) em 2012, o Templo dos Pilares é o maior sítio arqueológico de arte rupestre do Mato Grosso do Sul, com a presença de mais de 3 mil grafismos. Trata-se de um grande abrigo rochoso sustentado por pilares naturais, daí o nome do sítio. Escavações arqueológicas realizadas nesse sítio evidenciaram uma grande quantidade de vestígios arqueológicos, sobretudo líticos (lascas e estilhas), fragmentos cerâmicos (em menor quantidade) e alguns pequenos fragmentos de carvões que, após datação, trouxeram à tona um contexto de ocupação que remonta entre 10.735 e 3.000 antes do presente (A.P.).

Serviço

Visita guiada Templo dos Pilares – sob a perspectiva a Antropologia e Arqueologia

Data: 14 de fevereiro de 2020

Horário: às 8h

Local: Sítio arqueológico Templo dos Pilares – Alcinópolis (MS)


ASSECOM/IPHAN