Caminhonete roubada durante sequestro de pecuarista é encontrada abandonada - Jornal Correio MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

03/01/2020

Caminhonete roubada durante sequestro de pecuarista é encontrada abandonada

Na quinta-feira (2), uma ação conjunta da Polícia Militar e Polícia Civil resultou na libertação do pecuarista de Costa Rica

Caminhonete foi recuperada na madrugada desta sexta-feira (3) ©DIVULGAÇÃO PM/MS
Policiais militares recuperaram, na madrugada desta sexta-feira (3), a caminhonete Hillux prata que havia sido levada durante o sequestro de um pecuarista de 40 anos, em Paranaíba, distante 422 quilômetros de Campo Grande. 

Na quinta-feira (2), uma ação conjunta da Polícia Militar e Polícia Civil resultou na libertação da vítima, moradora de Costa Rica, que foi sequestrada e mantida em cativeiro após uma falsa transação de venda de gado em Paranaíba. A ação resultou na prisão de dois autores do crime, apreensão de droga, arma de fogo e munições. O nome dos suspeitos não foi informado pela polícia. 

A equipe policial continuou as buscas e conseguiu localizar a caminhonete abandonada na estrada vicinal de acesso ao aterro sanitário da cidade. O veículo foi apreendido e levado para a delegacia da cidade. 

O caso - Segundo a Polícia Civil, a vítima é de Costa Rica e trabalha com a compra e venda de gado na região. Por isso não estranhou ao receber uma ligação de um suposto vendedor oferecendo animais que estariam em uma fazenda de Paranaíba.

Na manhã de ontem, o pecuarista dirigiu 258 quilômetros até a cidade para avaliar o gado. “Ele acreditava ir para Paranaíba para avaliação, mas na verdade se tratava de uma armadilha para rendê-lo e exigir dinheiro da família”, explicou o delegado Alexandro Mendes de Araújo. O primeiro contato da vítima foi com o pai, um produtor rural de Costa Rica.

Sem revelar o sequestro, o pecuarista pediu para o pai fazer uma transferência bancária de R$ 200 mil. Pouco depois, retornou à ligação e abaixou o valor para R$ 20 mil. Estranhando o comportamento do filho, o produtor rural decidiu procurar a Delegacia de Polícia Civil da cidade.

Fonte: campograndenews
Por: Viviane Oliveira