MS-306 poderá receber investimentos a partir de fevereiro - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

04/12/2019

MS-306 poderá receber investimentos a partir de fevereiro

©EDMIR RODRIGUES
O governador Reinaldo Azambuja vai acompanhar nesta quinta-feira (4.12), na Bolsa de Valores de São Paulo, a abertura do leilão da concessão à iniciativa privada da rodovia MS-306, uma rodovia de 220 quilômetros, situada entre a divisa com Mato Grosso e Cassilândia, na região Noroeste de Mato Grosso do Sul. De acordo com o governador Reinaldo Azambuja, se o pregão tiver sucesso, a expectativa é de que até fevereiro de 2020 o contrato com a vencedora seja assinado e as obras tenham início. Ele foi questionado sobre o assunto hoje (4.12) em entrevista coletiva à imprensa após o lançamento da campanha “MS unido, paz nas famílias”, na governadoria.

Reinaldo Azambuja destacou que serão investidos quase R$ 1 bilhão na rodovia, nos próximos cinco anos, melhorando o ir e vir das pessoas, e que a concessão irá abrir caminho para a concessão de outras rodovias e também para Parcerias Público-Privadas (PPPs). “Estamos extremamente otimistas. Vamos aguardar a abertura do leilão. Que a gente possa ter sucesso. Primeiro, de poder transferir à iniciativa privada aquela rodovia, porque serão investimentos diretamente de mais de R$ 1 bilhão em uma rodovia, toda ela modernizada, melhorar segurança, melhoria de tráfego e principalmente o ir e vir das pessoas. É a primeira concessão de rodovia de outras que virão”, disse.
©CHICO RIBEIRO
Pela MS–306, o fluxo de veículos é de 80% de caminhões, a maioria dos estados de Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais. Com a concessão será implementado acostamento, construída uma terceira faixa em trechos críticos, adequadas interseções e novas rotatórias, implantados retornos e feita adequação de pontes e viadutos e melhoria da travessia urbana de Chapadão do Sul com o prolongamento das vias marginais. Também estão previstos serviços como socorros mecânico e médico, controle de tráfego, um caminhão-pipa para combate a incêndio e postos de atendimento.

Por: Paulo Fernandes