Governo Presente: Caracol vê horizonte de “primeiro mundo” e pede recurso para asfalto - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

04/10/2019

Governo Presente: Caracol vê horizonte de “primeiro mundo” e pede recurso para asfalto

©DIVULGAÇÃO
Com pouco mais de seis mil habitantes (IBGE 2019) e importantes investimentos do Governo do Estado, Caracol enxerga um horizonte com indicadores de primeiro mundo. O município está próximo de ter 100% de coleta e tratamento de esgotamento sanitário e pode ter todas suas ruas asfaltadas até o final do mandato do governador Reinaldo Azambuja.

Nesta quinta-feira (3.10), durante a terceira etapa do Governo Presente, realizada em Aquidauana, o prefeito Manoel Viais falou sobre o futuro de Caracol e pediu mais recursos estaduais para infraestrutura. “Temos três principais demandas. A primeira é pavimentação asfáltica para completar a malha em 90%. Mas o governador adiantou que vai tentar até 100%”, afirmou o prefeito.

“Esse foi um feito que ele (Reinaldo Azambuja) conseguiu lá em Maracaju quando foi prefeito. Por isso eu acredito que vamos conseguir em Caracol”, completou Manoel. As outras demandas apresentadas ao governador foram para o distrito de Alto Caracol: união das escolas estadual e municipal em um prédio para redução de custos e um centro esportivo para lazer e esporte.

Com a economia totalmente baseada na pecuária, ainda segundo o prefeito, Caracol vai praticamente zerar o desemprego. Isso porque a partir de maio de 2020 a cidade terá em funcionamento um frigorífico com capacidade de abate de 250 cabeças de boi e geração de 200 empregos. “Isso graças ao Estado, a Semagro e a Agraer”, contou o prefeito

Gabinete itinerante

Desde o mês passado Reinaldo Azambuja percorre o interior do Estado com o projeto Governo Presente. Já passaram por atendimento 27 municípios das regiões do Bolsão e Norte. Nesta etapa, que abrange cidades do Pantanal, Serra da Bodoquena e Sudoeste, 16 cidades passarão por audiências. O objetivo é colher demandas locais para traçar investimentos futuros em Mato Grosso do Sul.

“O mais importante no Governo Presente é falar com as lideranças locais, prefeitos e prefeitas, vereadores, sindicatos, organização sindical local. Você, com certeza, vai errar menos porque vai direcionar os recursos nas prioridades de cada um dos municípios”, explicou o governador.

Na reunião com representantes de Caracol também estiveram presentes o vice-prefeito Humberto Pagliosa, o Neco, e os vereadores Julio Cesar e Adair de Arruda. Além deles, os deputados Beto Pereira (federal), Paulo Corrêa (presidente da ALMS), Felipe Orro (estadual) e Herculano Borges (estadual).

Pelo Governo do Estado participaram das tratativas os secretários Sérgio de Paula (Articulação Política), Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Maria Cecilia (Educação) e Geraldo Resende (Saúde).

Os secretários-adjuntos Flávio Cesar (Governo e Gestão Estratégica), Ary Carlos Barbosa (Justiça e Segurança Pública) e Luis Roberto (Infraestrutura) também participam dos debates. Além deles estão os diretores-presidentes da Sanesul, Agehab e MSGás, Walter Carneiro Junior, Maria do Carmo Avesani Lopez e Rudel Trindade, respectivamente.

Investimentos

Nos últimos quatro anos e oito meses foram investidos pelo Governo do Estado cerca de R$ 12 milhões em Caracol. Só de repasses para a saúde, por meio de convênios para custeio de serviços como Farmácia Básica, Saúde da Família, Rede de Atenção Psicossocial e Vigilância Sanitária, foram mais de R$ 3 milhões.

Na área de saneamento básico, a cidade recebeu obras da Sanesul que somam R$ 720 mil nos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Na infraestrutura, com R$ 5 milhões, entre as principais obras estão a construção da ponte de concreto sobre o Rio Caracol; a pavimentação asfáltica com drenagem na Rua João Loureiro; e a reforma da ponte de madeira com drenagem em estrada vicinal na região da Fazenda Itapó.

Caracol ainda foi contemplada com 95 moradias – que representam R$ 2 milhões de recursos estaduais, federais e municipais.

ASSECOM