Falta de estrutura na eleição de conselheiros tutelares de Dourados causa indignação em Barbosinha - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

08/10/2019

Falta de estrutura na eleição de conselheiros tutelares de Dourados causa indignação em Barbosinha

©DIVULGAÇÃO
A espera média de uma hora e meia em filas extensas na escola Castro Alves, em Dourados, para escolher no último domingo (6) novos conselheiros tutelares fez o deputado Barbosinha (DEM-MS) usar a tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta terça-feira (8).

O deputado trouxe à tona o reclame da população quanto a falta de estrutura na eleição, quando apenas 6 mil pessoas compareceram às urnas no município em um colégio eleitoral médio de 140 mil votantes e tiveram que esperar por horas para exercer sua cidadania. Na ocasião, Dourados teve apenas um local de votação para comportar todo esse contingente eleitoral.

Na avaliação do parlamentar quatro locais, no mínimo, deveriam ser disponibilizados para atender os eleitores. “O cidadão em uma eleição não obrigatória como esta, em um domingo, dia de descansar e de ficar ao lado dos familiares, precisa ter persistência e determinação para não desistir. Fui exercer minha cidadania acompanhado da minha família e fiquei uma hora e vinte e cinco minutos na fila”, contou Barbosinha.

O deputado disse ter observado muitos eleitores desistindo de votar por conta da falta de estrutura adequada. “Poderíamos ter um público ainda maior se o pleito estivesse organizado e com mais locais para acolher as urnas. A democracia se faria mais presente nesta eleição e acabamos presenciando um caos absurdo”.

Com população de cerca de 230 mil habitantes, Barbosinha cobra mais empenho do poder público em Dourados para atender votações não obrigatórias. Ministério Público, Conselho da Criança e do Adolescente e Poder Judiciário deveriam estar unidos na demonstração de um maior interesse neste tipo de eleição, na opinião do parlamentar. 

Na escola Castro Alves haviam sete salas de votação, cada uma com duas urnas, para atender a demanda de todos os eleitores do município. “Tivemos apenas um ponto de votação e é preciso ter bom senso nestes casos. Esses conselheiros tutelares têm a missão de zelar pela integridade de adolescentes e crianças e motivados por este apelo os eleitores foram às urnas”, comentou.

Barbosinha acredita que a demora não foi maior devido ao bom trabalho desenvolvido por equipes de uma Universidade local. “Eles criaram um processo de pesquisa rápida do título de eleitor, o que acabou não tornando a espera ainda maior ou inviabilizou totalmente essa eleição”, avaliou.

Para finalizar seu pronunciamento o deputado deixou um alerta para os organizadores. “Para as próximas eleições de escolha dos novos conselheiros tutelares tenhamos mais pontos de votação e facilidade para que as pessoas possam exercitar sua democracia em uma escolha tão importante”, finalizou. 

Por: Luciana Bomfim