Chuva arrasou rua, inundou casas no Residencial Guaicurus - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

19/10/2019

Chuva arrasou rua, inundou casas no Residencial Guaicurus

No Residencial Guaicurus, moradores reclamam que problema é recorrente em temporais; chuva alcançou teto de casas 

Enxurrada levanto os tijolos da rua principal, que ficaram amontados pelo caminho (Foto: Fernanda Palheta)
Casas alagadas, rua destruída e desolação para os moradores do Residencial Guaicurus, depois do forte temporal desta tarde. A água invadiu várias das 19 casas do local e pelo menos sete foram bastante danificadas. Um filhote de shih-tzu morreu afogado, embaixo da cama.

A síndica Juliana Aquino, 32 anos, conta que começou a chover na hora do almoço. “Começou fraca, aí, de repente, ficou muito forte e tudo aconteceu”, lembra.

Os tijolos que formam a rua principal foram arrancadas e ficaram empilhados no fim da rua. A água invadiu as casas, chegando a quase 1 metro de altura. O portão eletrônico para veículos foi entortado pela força da enxurrada.
No teto, as marcas da água e o rastro de sujeira deixado após o temporal (Foto: Fernanda Palheta)
A manicure Dariuza de Lima Gomes, 28 anos, mora na última casa da rua principal e se assustou com a força da água. Ela e o marido tiveram tempo de resgatar as filhas, gêmeas de 3 anos. Um dos cachorros da família, conseguiu subir em um móvel, mas Duda, a filhote de shin-tzu, de pouco mais de 5 meses, ficou encurralada debaixo da cama e acabou morrendo afogada.

Dariuza mora há dois meses no residencial ficou muito abalada. “Material a gente recupera, tenta comprar de novo, queria ter salvado a cachorrinha”.

O vigilante Manoel Carlos Guerreira Jr., 34 anos, não estava em casa quando a chuva começou. “Fiquei sabendo pelo grupo de Whats, vim ver a situação e a casa estava toda alagada”.

Ele não conseguia nem entrar na casa por conta da enxurrada. Somente depois que a água abaixou é que pode ver a dimensão dos estragos. “Geladeira estava derrubada, todos os móveis molhados, muita lama”. O cachorro da família foi salvo pelo vizinho. “Ele quase se afogou, estava só com focinho de fora”, disse.

Desde que se mudou paro o Residencial, esta é a 4ª vez que temporal inunda as casas, lembrou o militar Clisman Martinez de Oliveira Silva, 24 anos, a mesma reclamação feita pelo vigilante Manoel Carlos. Na casa dele, a água alagou o carro, um Ford Ka e atingiu moto.
Depois da chuva, moradores tentam limpar área do residencial ©Fernanda Palheta



Fonte: campograndenews
Por: Silvia Frias