Servidores dos Correios aceitam proposta do TST e encerram greve em MS - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

13/09/2019

Servidores dos Correios aceitam proposta do TST e encerram greve em MS

Todos os servidores voltarão ao ritmo normal de trabalho a partir da próxima segunda-feira (16)

Servidores durante assembleia realizada em frente a sede da estatal em Campo Grande ©DIVULGAÇÃO
Os servidores dos Correios aceitaram a proposta do ministro Mauricio Godinho Delgado, do TST (Tribunal Superior do Trabalho) e encerraram a greve da categoria, iniciada na última quarta-feira (11) em Mato Grosso do Sul. Todos os servidores voltarão ao ritmo normal de trabalho a partir da próxima segunda-feira (16).

Como contrapartida do retorno ao trabalho, Godinho propôs a manutenção dos termos do último ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) e do plano de saúde para os pais dos empregados até 2/10, quando o TST deverá julgar o dissídio.

“Os trabalhadores retornam de cabeça erguida. O sindicato parabeniza cada trabalhador que fez parte desta luta contra retirada de direitos e arrocho salarial”, comentou a presidente do Sintect/MS (Sindicato dos Trabalhadores nos Correios e Telégrafos), Elaine Regina Oliveira.

A greve nacional levou o TST a convocar a audiência de conciliação e propor a manutenção integral do acordo até o julgamento definitivo do dissídio. O processo estará na pauta de julgamento da Seção Especializada em Dissídios Coletivos (SDC) do TST do dia 2/10, às 14h30.

No julgamento, o TST definirá as relações coletivas de trabalho até a data-base de 2020 e resolverá eventuais questões sobre a greve, iniciada na quarta-feira (11).

A greve – Os servidores protestavam contra a iminente perda de benefícios como tickets alimentação, o vale cultura e também o reajuste salarial de apenas 0,80% proposto pela empresa.

Com uma inflação acumulada de 4% no período, os funcionários teriam uma perda de mais de 3% no poder aquisitivo do salário. Em Mato Grosso do Sul, estima-se que pelo menos metade dos 1,3 mil funcionários da estatal entraram em greve. Trinta e cinco municípios aderiram a paralisação.

Fonte: campograndenews
Por: Adriano Fernandes