Samu da Capital ganha ambulâncias para superar colapso e terá frota reserva - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

12/08/2019

Samu da Capital ganha ambulâncias para superar colapso e terá frota reserva

Serviço vai receber mais quatro viaturas do Ministério da Saúde



Ministério da Saúde vai repassar quatro ambulâncias para prefeitura de Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)


A prefeitura de Campo Grande vai receber doação de quatro ambulâncias do ministério da Saúde. Os veículos servirão para implementar o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O extrato do termo de doação foi publicado na edição de hoje do DOU (Diário Oficial da União). As ambulâncias valem R$ 690,8 mil e devem reforçar a renovação da frota municipal.

A doação foi assinada pelo titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, e pelo representante da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do ministério, Francisco de Assis Figueiredo.

As ambulâncias são oriundas de licitação lançada em 2018 pelo ministério da Saúde. O edital previa a compra de até 1,5 mil veículos do tipo padrão Samu 192.

De acordo com a coordenadora do Samu Regional Campo Grande, Maithe Vendas Galhardo, ainda não há previsão de quando as ambulâncias serão incorporadas à frota. As unidades estão na central de adaptação, onde recebem os equipamentos necessários para que o furgão seja transformado em ambulância.

O serviço da Capital, que atende mais oito municípios do interior, hoje conta com 13 veículos (três deles avançados) e duas motos. Maithe detalha que duas das ambulâncias estão inutilizadas por causa de colisões, mas, como são seguradas, serão retomadas sem custo.

Frota reserva - O Samu vem recebendo reforço para evitar novo colapso. Em julho do ano passado, o sucateamento do serviço foi escancarado quando chegou a operar com apenas duas viaturas disponíveis.

Este ano, a coordenação da Capital recebeu sete novas ambulâncias - duas da prefeitura, duas de emendas parlamentares e três do ministério da Saúde.

“As nossas estão muito antigas, sucateadas, com custo de manutenção alto. Arrumava uma coisa e baixava por outra. Temos viaturas de 2012, que já preenchem critérios de desfazimento, de ir para leilão. Agora conseguimos mais essas quatro. Isso vai nos permitir uma frota reserva pela primeira vez, e renovar a frota praticamente toda”, revela Maithe.


Fonte: campograndenews
Por: Jones Mário