CAPITAL| Vereador Papy propõe projeto de lei que institui sessão de cinema adaptada à autistas - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

02/07/2019

CAPITAL| Vereador Papy propõe projeto de lei que institui sessão de cinema adaptada à autistas

©DIVULGAÇÃO
Buscando trabalhar sempre em prol da inclusão e acessibilidade de todos, o vereador Papy propôs mais um projeto de lei dedicado à comunidade autista: instituir a obrigatoriedade de sessões de cinema adaptada à autistas e suas famílias. O projeto foi protocolado em abril e está em processo de tramitação para que, em breve, seja votado em plenário durante sessão ordinária.

“Desta vez a luta tem por objetivo superar alguns dos desafios sociais e de comunicação de pessoas com autismo que isolam muitas famílias, e uma sessão no cinema adaptada pode melhorar essa relação e, principalmente, promover novas experiências à eles. A sociedade deve entender que a inclusão precisa estar em todos os lugares e as crianças com deficiência necessitam ter seus direitos garantidos. É uma luta constante, que começa nos detalhes”, apontou Papy.

Segundo o vereador, o projeto nasceu de pesquisas e identificação de circunstâncias em que os familiares tem receio da reação do autista em situações que para ele, talvez, não sejam tão confortáveis. Algumas delas, como ir ao shopping, restaurantes, festas ou ao cinema, aparentemente tranquilas para quem não sofre de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), podem ser bastante incômodas.

“Com isso passamos a buscar opções de lazer para essas famílias e identificamos que no Brasil existem pouquíssimas alternativas de entretenimento voltados para eles, a começar aqui pela nossa cidade”.

Os cinemas do Município de Campo Grande deverão reservar, pelo menos, uma sessão especial mensal, a ser denominada "Sessão Azul", para apresentação de filmes para as crianças com o transtorno. Essas sessões especiais serão identificadas na entrada com o símbolo mundial do espectro autista e contarão com iluminação reduzida, som mais baixo que o volume regular e não exibirão trailer no início do filme.

Tanto as crianças quanto seus familiares terão acesso irrestrito à sala de cinema, podendo entrar e sair ao longo da exibição. Os cinemas terão o prazo de 90 (noventa) dias para se adequarem a esta Lei.

ASSECOM