Deputado Cabo Almi critica decreto do Governo Federal que modifica Estatuto do Desarmamento - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

09/05/2019

Deputado Cabo Almi critica decreto do Governo Federal que modifica Estatuto do Desarmamento

Cabo Almi avalia que o Governo está sendo irresponsável ©DIVULGAÇÃO/ALMS
O deputado Cabo Almi (PT) repercutiu na manhã desta quinta-feira (9) as decisões do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), criticando o Decreto 9.785 de 7 de maio de 2019, o qual altera a regulamentação do Estatuto do Desarmamento, Lei 10.826 de 2016, estendendo a 11 categorias o direito de porte de armas.

“Precisamos de critérios e de responsabilidade. A liberação de armas não vai diminuir a violência. Precisamos de prioridades. Precisamos que o cidadão tenha o direito de ir e vir sem estar armado, para isso precisamos de empregos, de investimento na segurança pública”, afirmou o parlamentar.

Em aparte, o deputado Zé Teixeira (DEM) argumentou pelo o uso de armas para defesa pessoal. “O índice de roubos em fazendas em épocas de plantio de soja é alto. O cidadão de bem precisa se proteger. E a liberação de armas não será feita indistintamente. Tem exame psicológico e estão especificando as pessoas que poderão ter o porte de arma”, defendeu Zé Teixeira.

O deputado Barbosinha (DEM) fez uma ponderação quanto às críticas de Cabo Almi. “Quando foi feito o plebiscito sobre o desarmamento, quase 64% da população foi contra. Votaram a favor do porte de arma. O assunto deve ser estudado. Mas o Bolsonaro está cumprindo o que prometeu em campanha”, disse. Coronel David (PSL) frisou a mesma questão, afirmando que “as promessas de campanha estão sendo cumpridas, e muitos que votaram no presidente estão satisfeitos com o governo”.

Segurança Pública e Aquário do Pantanal

O deputado Cabo Almi também cobrou por investimentos na segurança pública estadual. Conforme o parlamentar, em outros estados os policiais são mais valorizados. “Em São Paulo está acertado que haverá reajuste a cada seis meses aos policiais. Aqui estamos precisando priorizar os investimentos à segurança pública, em aumento de efetivo e melhores salários”, disse o deputado comparando a carência de investimentos na estrutura da Polícia Militar com os recursos aplicados à obra Aquário do Pantanal.

Líder do governo, Barbosinha argumentou que o concurso da Polícia Militar está em andamento e que a obra Aquário do Pantanal é importante para o estado de Mato Grosso do Sul.

“Não se discute mais os valores que foram gastos no Aquário do Pantanal. A obra está lá e precisa ser concluída. E será concluída até setembro do ano que vem. Quanto à segurança pública, no dia 15 de maio será realizada a próxima fase do concurso da Polícia Militar, e a intenção é fazer concursos contínuos”, disse Barbosinha.

Por: Ana Maria Assis