Deputado Renato Câmara apresenta projeto de lei de incentivo a doação de órgão - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

28/03/2019

Deputado Renato Câmara apresenta projeto de lei de incentivo a doação de órgão

Deputado Renato Câmara apresentou na Assembleia Legislativa projeto de lei para a instituição da Semana Estadual de Doação de Órgãos e Tecidos

©DIVULGAÇÃO/ALMS
O Calendário Oficial de Mato Grosso do Sul poderá receber mais um evento após proposta do deputado Renato Câmara (MDB). O parlamentar apresentou projeto de lei, durante a sessão plenária desta quinta-feira (28) para a instituição da Semana Estadual de Doação de Órgãos e Tecidos.

Câmara afirmou que o objetivo central da iniciativa é conscientizar a população sobre a importância de ser doador de órgãos. “Temos o intuito de ajudar a milhares de pessoas que lutam por uma oportunidade de salvar suas vidas”, frisou.

Se aprovada, a semana será realizada, anualmente, do dia 21 a 27 de setembro. “Vamos fortalecer o 27 de setembro, quando é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos, de modo a ampliar as campanhas já existentes, porém sem regulamentação no Estado de Mato Grosso do Sul", explicou.

DADOS

Conforme dados da ABTO (Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos), Mato Grosso do Sul registrou no ano passado a doação de órgãos aumentou 25%, em relação a 2017. O Estado teve 44 doações efetivas, contra 35 de 2017. Ao todo são 132 órgãos doados que salvaram vidas em Mato Grosso do Sul e outros estados. De acordo com o Ministério da Saúde, 25.396 pessoas estão na fila a espera de um transplante de órgão e 8.825 na fila a espera de córneas - que são tecidos. O órgão mais doado no Estado é o que tem a maior fila de pessoas na espera no Brasil, o rim. São 23.223 aguardando um transplante.

Apesar do avanço no número de transplantes realizados no Estado, Mato Grosso do Sul tem o oitavo maior índice de negativas de doação de órgãos do Brasil, de acordo com dados do Sistema Nacional de Transplantes (SNT). O levantamento aponta que, em 2017, foram realizadas 133 entrevistas com familiares de possíveis doadores e que deste número 76 desautorizaram a doação, o que representa 57% de negativa. O percentual está acima do registrado na região Centro-Oeste (53%) e no Brasil (42%).

Por: Henrique de Matos