"Energisa deve prestar serviço eficiente, de qualidade e com preço justo", diz Felipe Orro - JORNAL CORREIO MS

LEIA TAMBÉM

Home Top Ad

05/02/2019

"Energisa deve prestar serviço eficiente, de qualidade e com preço justo", diz Felipe Orro

©DIVULGAÇÃO
Em seu primeiro discurso na 11ª Legislatura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Felipe Orro (PSDB) levou à Casa de Leis a polêmica envolvendo a Energisa, que entre os meses de dezembro e janeiro emitiu contas de energia que registraram aumentos considerados abusivos pelo consumidor. A concessionária será acionada na semana que vem para prestar esclarecimentos a respeito dos aumentos reclamados pela população.

No fim de janeiro, o deputado Felipe Orro representou a Assembleia Legislativa em audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande, onde coletou informações para levar o tema aos demais deputados. "Precisamos discutir com a Energisa. Queremos que a concessionária cumpra com seu papel social, que não estamos vendo acontecer. Por isso fazemos essa cobrança. Não é possível que 70% da população que reclama desses aumentos abusivos esteja errada", explica o deputado Felipe Orro.

O parlamentar pontua que o índice de reclamações contra a Energisa entre o fim de 2018 e o início deste ano aumentou 50%. "Há relatos do Procon de consumidor no município de Jardim que recebia a conta no valor de R$ 600, e no mês seguinte a fatura chegou a R$ 16 mil. Toda a população ficou revoltada. Muitos consumidores ficaram inadimplentes por não darem conta de pagarem suas contas de luz, que tiveram aumento abusivo".

Através da articulação do deputado Felipe Orro, a Casa de Leis deve receber no próximo dia 13 de fevereiro, às 14, na Sala da Presidência, representantes da concessionária para explicarem o aumento nas contas de milhares de consumidores sul-mato-grossenses.

"Eles (Energisa) alegam que o calor, as férias escolares e a recepção de visitas aumentam o consumo. O problema é que há relatos de consumidores que viajaram de férias, ficaram com a casa vazia, e ainda assim houve aumento na conta. O consumidor acaba prejudicado porque recebe um atendimento ruim, com tarifa mais cara e aferição questionável. Essas possíveis irregularidades precisam ser apuradas e esclarecidas pela concessionária. Devemos cobrar um serviço eficiente, de qualidade e com preço justo", finaliza Felipe Orro.

ASSECOM