Sem consenso, deputados tucanos buscam votos dentro do partido - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

28/11/2018

Sem consenso, deputados tucanos buscam votos dentro do partido

PSDB ainda não definiu quem será o candidato do partido à presidência do legislativo estadual

Deputados Paulo Corrêa (PSDB), Onevan de Matos (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB), na Assembleia (Foto: Victor Chileno/ALMS)
Sem consenso sobre o candidato tucano à presidência da Assembleia, os deputados do PSDB buscam votos entre eles e dentro do partido, para serem escolhidos ao cargo. A expectativa é que o nome definido seja o favorito para ser o comandante do legislativo, a partir de 2019.

A bancada eleita do PSDB tem cinco deputados para o ano que vem, sendo que Paulo Corrêa (PSDB) e Onevan de Matos (PSDB) travam uma disputa interna pela indicação. Felipe Orro (PSDB) e Rinaldo Modesto (PSDB) também dizem que estão no páreo, enquanto que Marçal Filho (PSDB), poderá ser o “voto de minerva”.

Na semana passada foi feita a primeira reunião do grupo, que contou com a participação do presidente estadual do PSDB, Beto Pereira, e do dirigente tucano e ex-chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula. Ficou então combinado que “juntos” os cinco parlamentares entrariam em consenso, para que o partido seguisse unido em busca de apoio das demais bancadas.

Reuniões

Ocorre que ontem (27), na reunião que escolheria o nome da legenda, apenas dois deputados apareceram no encontro: Onevan de Matos e Felipe Orro. Por falta de “quórum” adiaram a decisão para próxima terça-feira (4), a partir das 18h, na sede do partido.

Felipe Orro revelou que tem uma “conversa adiantada” com Onevan, e que agora resta aos deputados buscarem “três votos”, que definiria o nome do partido. “Não teve consenso até agora, faltam ainda o candidato que tenha os três votos e garanta a maioria no grupo, as articulações vão continuar”.

Divisão 

Neste cenário, com uma proximidade maior entre Rinaldo e Paulo Corrêa, restaria ao ex-deputado federal e agora eleito para Assembleia, Marçal Filho (PSDB) definir a questão. Outra possibilidade é a "interferência" do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) neste impasse. "Ele seria importante para se chegar a uma decisão". 

Para os tucanos, Reinaldo também será importante para mobilizar as demais bancadas, em apoio ao PSDB, nas busca pela presidência do legislativo. Entramos em contato com Paulo Corrêa (PSDB), mas até o fechamento da reportagem ele não retornou as ligações.

Fonte: campograndenews
por: Leonardo Rocha