Com céu carregado de nuvens, previsão é de chuva a qualquer hora nesta quinta-feira (11) - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

11/10/2018

Com céu carregado de nuvens, previsão é de chuva a qualquer hora nesta quinta-feira (11)

As chuvas dos últimos dias têm causado transtornos em cidades da região sudoeste de Mato Grosso do Sul e microrregião de Dourados

Céu amanheceu nublado em Campo Grande e previsão é de chuva a qualquer hora do dia ©Reprodução
O feriado desta quinta-feira (11), em que se comemora a divisão do Estado, será de tempo nublado com pancadas de chuva e trovoadas na maioria das cidades. As temperaturas máximas em MS devem ficar na casa dos 33ºC, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

As fortes pancadas de chuva ocorrem especialmente no sul e sudeste do Estado, durante o período. O instituto emitiu alerta de chuvas intensas para 44 cidades com precipitação de até 100 mm (milímetros) e ventos fortes. Há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Os municípios que devem ficar em alerta são: Campo Grande, Alcinópolis, Anastácio, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Bandeirantes, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Camapuã, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Figueirão, Guia Lopes da Laguna, Inocência, Jaraguari, Jardim, Ladário, Maracaju, Miranda, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Paranaíba, Paraíso das Águas, Pedro Gomes, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Selvíria, Sidrolândia, Sonora, São Gabriel do Oeste, Terenos, Três Lagoas e Água Clara.

Em Campo Grande, Dourados e Ponta Porã, as máximas serão de 29ºC, em Três Lagoas 31ºC, Corumbá 33ºC. As chuvas dos últimos dias têm causado transtornos em cidades da região sudoeste de Mato Grosso do Sul e microrregião de Dourados. Em Caarapó e Fátima do Sul, por exemplo, a situação é mais grave e famílias estão desalojadas.

Por: Viviane Oliveira