CHAPADÃO DO SUL| Município completa 31 anos de muita prosperidade - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

23/10/2018

CHAPADÃO DO SUL| Município completa 31 anos de muita prosperidade

O ano era 1969 quando produtores vindos do Rio Grande do Sul viram a oportunidade de implantar agricultura mecanizada nos campos de terras vermelhas de Chapadão do Sul. Completando 31 anos de fundação, a cidade, que antes não produzia muito, se transformou referência de tecnologia agrícola mundial.

©Divulgação
Considerado um importante e próspero município do estado, Chapadão cresceu muito nos últimos anos. Sua população, que gira em torno de 40 mil habitantes, é conhecida pela hospitalidade, além da paixão por boas festas e pelo empreendedorismo.

Um dos exemplos dessa veia empreendedora pulsante é Neivani de Carni, conhecida por todos na região como Dona Neiva. Aos 72 anos de idade, possui mais de 50 de experiência no ramo de organização de eventos.

Natural de Tenente de Portela (RS), Dona Neiva foi para Chapadão do Sul construir sua história. Ela é proprietária de uma das primeiras e mais tradicionais padarias da cidade, a Ki-pão, e com o sucesso deste primeiro empreendimento foi possível abrir uma choperia, uma fábrica de gelo e um buffet, que conta com três salões de festas.

Mesmo tendo idade para se aposentar, se quisesse, Dona Neiva não tem preguiça de trabalhar e toma a frente dos seus negócios. Ela sempre está presente nos eventos que organiza para sair tudo perfeito e com a qualidade que todos de Chapadão já conhecem. Suas festas vão desde pequenos coffee-breaks até formaturas, atendendo a prefeitura, escolas particulares, municipais e estaduais, assentamentos e leilões.

Casada com o Seu Luiz, juntos ajudaram a desenvolver o município gerando empregos e oferecendo novas opções para os clientes. Ela conta com orgulho que possui mais de 52 funcionários, no total, além de oferecer oportunidades de freelancer de garçom. “É muito bom fazer parte dessa história de Chapadão. A gente luta para o município crescer e dá muito orgulho”, relata.
©Divulgação
Empreendedorismo no agronegócio 

Natural de São José do Rio Preto (SP), o agrônomo e empreendedor José Antônio Colagiovani se mudou em 1984 para Chapadão do Sul. Durante 10 anos trabalhou em uma fazenda e, depois disso, começou a vida de empreendedor. Em 1993 abriu a empresa Seiva, para trabalhar com consultoria nas fazendas, ensinando técnicas agrícolas que até então eram novas naquela época, como, por exemplo, o plantio direto, a aplicação de fungicida, entre outros.

Até 1996, a empresa fazia essas consultorias e vendia insumos agrícolas, mas foi a partir de 1997 que José Antônio começou a vender máquinas pesadas para o segmento de produção. Em 2000, ele passou a se dedicar exclusivamente às vendas e o sucesso foi tão grande que, além de Chapadão, também atendia às cidades Naviraí, no interior de MS, e Andradina, interior de São Paulo.

Em fevereiro de 2013, José Antônio decidiu vender a empresa Seiva e abrir a BTG – Produtos e Serviços Limitada, também no segmento de máquinas agrícolas. De acordo com ele, ainda tem muito mercado para atividades relacionadas ao Agronegócio na região, que usa bastante tecnologia. “Essa região é muito próspera, até porque a maior produção de soja do cerrado é aqui. É um mercado em ascensão, tanto que atendemos a maior parte do estado e vamos abrir lojas em Sonora e Campo Grande em breve”, comenta José.

Ele também conta que há 21 anos criou a Fundação de Pesquisa Agrícola de Chapadão do Sul, que é mantida pelos agricultores da região para movimentar e incentivar ainda mais o crescimento do segmento. “A gente faz parte desse meio e é importante dar continuidade na evolução do negócio. Assim, investimos mais em tecnologia e pesquisa para melhorarmos cada vez mais a agricultura daqui”, finaliza.
©Divulgação

Fonte: SEBRAE