Senar/MS: com nova metodologia, Mais Floresta expande ações no estado - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

02/09/2018

Senar/MS: com nova metodologia, Mais Floresta expande ações no estado

Atualmente são 55 produtores assistidos pelo programa de assistência técnica e gerencial em MS

©Divulgação
O programa Mais Floresta, uma das vertentes de atuação da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, ampliou neste segundo semestre as ações para expansão do cultivo de seringueiras em Mato Grosso do Sul.

O coordenador do Departamento de Assistência Técnica e Gerencial (DATeG) do Senar/MS, Francisco Paredes, afirma que a proposta é levar até o produtor rural uma assistência técnica personalizada que contribua com o desenvolvimento e rentabilidade da atividade exercida. “Para atender essa proposta, estabelecemos uma metodologia de atendimento específico para cada fase da cultura, desde a implantação até a extração do seringal. O interesse de um número maior de produtores pela ATeG Mais Floresta demonstra a assertividade desta iniciativa”.

Atualmente são 55 produtores assistidos pelo programa, distribuídos em três municípios: Aparecida do Taboado (29), Cassilândia (09) e Paranaíba (17). A assistência técnica pelo Mais Floresta está em fase de mobilização e poderá chegar, também, ao município de Camapuã. 

“Em junho de 2018 iniciamos uma nova metodologia específica para atividade da heveicultura, que compreende três fases: implantação, condução e extração. Independente do potencial produtivo da floresta, visamos à otimização de recursos e o atendimento satisfatório do produtor. A metodologia contribui com subsídios técnicos e estratégicos”, explica o coordenador do programa, Nivaldo Passos.

O novo modelo de consultoria apresentado aos heveicultores foi construído em parceria com o sindicato rural e a Associação dos Produtores de Borracha de Aparecida do Taboado e Região (APROBAT). Somente no município são 2 milhões de seringueiras plantadas, que correspondem a uma área plantada de 5 mil hectares. 

"Essa modalidade é muito importante para ajudar os associados na fase de pós-sangria. Com o técnico acompanhando o produtor, os danos às plantas e erros de corte serão minimizados, o que valoriza o patrimônio e garante longevidade do seringal. É um mercado muito promissor", aponta o presidente do Sindicato Rural de Aparecida do Taboado, Eduardo Antonio Sanchez. 

O programa surgiu em 2014 com o intuito de atender 14 produtores de Aparecida do Taboado, possibilitando a diversificação da renda; além de estimular investimentos na área florestal.

Fonte: Assessoria de Comunicação Sistema Famasul 
Por: Rodrigo Corrêa