Administração municipalista de Reinaldo Azambuja prioriza demandas locais - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

15/09/2018

Administração municipalista de Reinaldo Azambuja prioriza demandas locais

Candidato à reeleição, governador tem feito obras que atendem necessidades da população nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul

©Divulgação
Investimentos que atendem as demandas locais de cada um dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul são tratados como prioridade pela administração do governador Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição. A gestão do tucano é classificada como municipalista pelo presidente da Associação dos Municípios de MS (Assomasul) e prefeito de Bataguassu, Pedro Caravina. “Ninguém fez mais pelos municípios do que Reinaldo Azambuja. Em um mandato fez mais que [outros] em três”, destacou.

Na prática, conforme Reinaldo Azambuja, as ações do Governo do Estado são pactuadas com prefeitos e vereadores, que estão em contato direto com a população. “Trabalhamos com seriedade e mantendo as contas do governo equilibradas para atendermos os anseios das pessoas. Assim, conseguimos fazer investimentos em todos os municípios do Estado”, explicou o governador.

Um dos casos mais emblemáticos de planejamento que foi que alterado para satisfazer a comunidade local está em Corumbá. Inicialmente, o Governo planejou a construção de um Hospital Regional na Cidade Branca. Mas, depois de tratativas com a população ficou definida a obra de reforma e ampliação da Santa Casa, a maior unidade de saúde da região do Pantanal.

“O pedido para melhorias no prédio da Santa Casa surgiu da própria comunidade. De pronto aceitamos, a Prefeitura fez um projeto a assinamos convênio para transferência de R$ 11,9 milhões para fazer uma reestruturação completa, que transformará o prédio em uma nova Santa Casa”, afirmou Reinaldo Azambuja.

Nas melhorias estão previstas as construções de um novo pronto socorro, com uma área física de 3,5 mil m² e estrutura para urgência e emergência. A reforma do atual prédio do hospital inclui a construção de uma recepção geral, que atenderá o novo complexo, além de mais 30 leitos. Na maternidade, o aporte estadual vai possibilitar a reestruturação completa do centro obstétrico e da enfermaria. “Fazemos um governo que respeita as vontades locais”, pontuou.

ASSECOM