Polícia paraguaia pede prisão de eletricista suspeito de matar de filha de ex-prefeito - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

22/08/2018

Polícia paraguaia pede prisão de eletricista suspeito de matar de filha de ex-prefeito

Estudante de Medicina foi torturada antes de ser morta a facadas

Reprodução/Facebook
A Polícia Paraguai emitiu um mandado de prisão contra o eletricista de 27 anos suspeito pela morte da filha do ex-prefeito de Pontal do Araguaia, Erika de Lima Corte, de 29 anos. O mandado foi expedido nesta terça-feira (21).

Policiais foram até a casa do eletricista, mas não o encontraram. Roupas da casa do suspeito, três bermudas e um par de tênis, foram levados para passar por análise e a verificação se estão relacionadas com o crime.

Segundo o site Ponta Porã Informa, os investigadores não descartam uma possível relação amorosa entre Erika e o eletricista. O promotor público Amarilla Alem disse que acusará o eletricista de homicídio doloso.

Erika teria sido vista com dois homens na noite anterior à sua morte. De acordo com Gabriel Segovia, promotor de Justiça de Pedro Juan Caballero, imagens de câmeras de segurança devem ajudar a saber se um dos homens teria entrado na casa da universitária.

A universitária foi assassinada com 16 facadas, sendo três no peito. A polícia não descarta que ela tenha sido torturada . O corpo foi encontrado por uma amiga durante a madrugada desta segunda-feira (20), em um dormitório.

Outra universitária morta

O eletricista suspeito pelo assassinato de Erika Corte já teria sido acusado em 2012 de outro homicídio cometido da mesma forma contra outra universitária. Dayse Patrícia Benitez Gomes, de 26 anos, foi morta a facadas e torturada.

O eletricista chegou a ser preso, mas foi solto dias depois e passou a trabalhar com pai, que faz trabalhos de instalação elétrica na cidade.

O rapaz de 27 anos está foragido e a polícia paraguaia suspeita que ele possa ter fugido para o Brasil.

O caso da estudante Dayse Patrícia Benitez Gomes de 26 anos será reaberto pela polícia.

Fonte: Midiamax
Por: Thatiana Melo