Suspeito de intermediar atentado e que foi morto após depoimento tinha identidade brasileira e paraguaia - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

18/06/2018

Suspeito de intermediar atentado e que foi morto após depoimento tinha identidade brasileira e paraguaia

Investigação diz que ele é a pessoa quem mostrou foto do prefeito Dirceu Bettoni, além de apontar casa e empresa da vítima. Polícia também prendeu casal envolvido no crime.

Gabriel Queiroz e sua esposa, Djuly Priscilla Pena Couto foram presos em Rio Brilhante nesta madrugada por suspeita de participação no atentado contra o prefeito de Paranhos. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
O homem suspeito de intermediar o atentado contra o prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), possuía dois documentos de identidade: um de origem brasileira e outro paraguaia, com nomes diferentes. Na ocasião do depoimento, ele apresentou o RG estrangeiro e, em seguida, foi assassinado ao sair da delegacia. Logo depois, a família dele foi até o local e entregou o outro documento.

O assassinato ocorreu na tarde desse domingo (17), em uma praça da cidade, que fica a fica a 466 quilômetros de Campo Grande. A investigação o apontam como intermediador do crime, sendo a pessoa quem mostrou ao pistoleiro a foto da vítima, além da casa e a empresa do prefeito.

Prisão

A polícia prendeu na madrugada de domingo (17), na BR-163, em Rio Brilhante, o suspeito de atirar no prefeito de Paranhos. De acordo com a polícia, ele estava com a mulher e confessou que receberia R$ 20 mil pela execução.

Ainda segundo a polícia, o suspeito disse que parte do valor, R$ 5 mil, foram depositados na conta da esposa. Parte do dinheiro foi usado para a compra da motocicleta utilizada no crime. O homem mora em Campo Grande e já cumpriu pena por roubo. Ainda à polícia, ele disse que não sabia que a vítima era o prefeito.

O atentado seria um acerto de contas após um negócio imobiliário que deu errado. A polícia ainda não divulgou o nome do mandante.

Dirceu Bettoni continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular de Dourados, região sul do estado, a 250 quilômetros da capital. Nesta segunda-feira (8) ele deve ser transferido para o quarto. De acordo com informações da equipe médica, o estado de saúde dele é estável.

O caso

O prefeito foi atingido por quatro disparos na casa dele, na última quinta-feira (14). As balas acertaram a cabeça, boca, ombro e o abdômen de Bettoni. De acordo com a polícia, a munição utilizada era de baixa qualidade e, possivelmente, velha.

A equipe da TV Morena, tentou contato com os parentes que acompanham o prefeito em Dourados para repercutir as investigações, mas ninguém quis falar sobre o assunto.

Por Graziela Rezende, G1 MS