TRÊS LAGOAS| Assistência Social do município reabre processo de inscrição e seleção de famílias acolhedoras - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

24/05/2018

TRÊS LAGOAS| Assistência Social do município reabre processo de inscrição e seleção de famílias acolhedoras

Finalidade é cadastrar e capacitar novas famílias para adesão ao serviço de acolhimento de crianças e adolescentes, como prevê a Lei 3.296/2017


A Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) de Três Lagoas, por meio da Diretoria de Proteção Social Especial, continua o processo de inscrição e cadastro de novas famílias para adesão ao serviço de acolhimento familiar de crianças e adolescentes, afastados do convívio de sua família de origem em decorrência de abandono, negligência ou maus tratos por parte dos pais ou responsáveis legais.

As inscrições para o serviço de “Acolhimento em Família Acolhedora” estão abertas até o dia 30 de maio e a capacitação dessas famílias inscritas e previamente selecionadas deverá ser feita no período de 25 a 27 de junho, nas dependências do Fórum da Comarca de Três Lagoas.
©Divulgação 
As inscrições das famílias que se dispõem a este “serviço humanitário e solidário” devem ser feitas na sede da SMAS, na Avenida Aldair Rosa de Oliveira (Orla da Lagoa Maior), número 1.622, de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h. Informações também poderão ser obtidas por telefone (67) 3929-1134 ou pelo celular (67) 99286-0561.

A equipe do Programa Família Acolhedora da SMAS é coordenada por Laura Figueiredo Garcia e é formada por: Milton Júnior de Almeida Santos (advogado), Emily Parmezão de Freitas (psicóloga), Tâmara da Silva Santana (pedagoga) e Huli Cristina Garcia (assistente social). A equipe também disponibiliza um e-mail (familiaacolhedora@treslagoas.ms.gov.br),que poderá ser usado para requerer esclarecimentos que se fizerem necessários.

O serviço de acolhimento em família acolhedora está previsto na Lei Municipal 3.296, de 12 de julho de 2017, que “dispõe sobre o serviço que organiza o acolhimento em residências de famílias previamente cadastradas e aptas, de crianças e adolescentes, afastados da família de origem mediante medida protetiva”.

Como observou o diretor de Proteção Social Especial da SMAS, Luiz Fernando Tondelli Fochi, “completado quase um ano em que foi instituído o Programa Família Acolhedora em Três Lagoas, temos a satisfação de informar que temos 13 famílias devidamente cadastradas, habilitadas e capacitadas, e já vivendo essa experiência de acolhimento e solidariedade”, disse.
©Divulgação


ASSECOM