“PTB e PSD não são irmãos”, dispara Marquinhos sobre aliança de Nelsinho com Reinaldo - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

17/05/2018

“PTB e PSD não são irmãos”, dispara Marquinhos sobre aliança de Nelsinho com Reinaldo

Prefeito evita falar sobre eleições, mas questão sempre vem à tona

Marquinhos, Reinaldo Azambuja e Nelsinho Trad ©Arquivo/Midiamax
Se dentro do ninho tucano a disputa entre postulantes a candidato ao Senado está pegando fogo, a vaga destinada aos aliados está muito próxima de ser definida, e deve pertencer ao ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PTB). Essa situação cria um embaraço a Marquinhos (PSD), que tenta se desvencilhar das discussões eleitorais, mas acaba sendo protagonista de rumores se irá seguir o mesmo caminho do irmão.

“Eu sou irmão do Nelsinho, o PTB não é irmão do PSD. São siglas diferentes”, disparou Marquinhos durante agenda pública nesta quarta-feira (16). Em ocasiões anteriores, o atual prefeito da Capital chegou a dizer que Nelsinho não tem “procuração” para falar em nome dele ou do PSD.

Além do parentesco, a ligação política entre os dois perdurou por anos, com ambos sendo correligionários quando defendiam as bandeiras do PMDB. A união, pelo menos partidária, terminou em 2015, quando deixaram a sigla e seguiram caminhos distintos.

Antes disso, Marquinhos apoiou o irmão nas últimas eleições ao Governo do Estado, mas quando disputou a Prefeitura da Capital, em 2016, criou um distanciamento com receio de que Nelsinho, que fracassou nas urnas, pudesse interferir negativamente na campanha dele.

Agora como pré-candidato ao Senado, Nelsinho e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) andam lado a lado, literalmente, principalmente em agendas públicas. Ambos reconhecem que a aliança deve ser confirmada em agosto, época das convenções e início oficial da campanha.

Essa definição acaba voltando os holofotes não somente para os rumos que seguirá o prefeito, mas também para o deputado federal Fábio Trad (PSD), que demonstrou descontentamento com essa situação e que pode seguir outro caminho em apoio a uma candidatura “ética e honesta”.

Fiel da balança

Mesmo com Marquinhos tentando se manter distante da disputa eleitoral, ele é tratado como trunfo do Partido Social Democrático para ser o fator de desequilíbrio no pleito deste ano em Mato Grosso do Sul.

“Tenho em mente uma coisa. Nós temos o prefeito da Capital, que detém 37% do colégio eleitoral do Estado, e estamos hoje com índice de avaliação altíssimo, então acho que isso pesa para sermos o fiel da balança”, declara Antônio Lacerda, presidente regional da legenda.

Lacerda diz que atualmente não tomou nenhuma definição sobre qual candidatura vai apoiar, o que deve ocorrer somente no período das convenções.

Fonte: Midiamax
Por: Richelieu Pereira