Na Assembleia, corretores debatem problemas no mercado imobiliário em MS - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

17/05/2018

Na Assembleia, corretores debatem problemas no mercado imobiliário em MS

Durante o evento, foi anunciada a realização do 1º Encontro Trinacional de Corretores de Imóveis Brasil-Bolívia-Paraguai

Deputados e corretores de imóveis durante audiência na Assembleia Legislativa nesta tarde ©Divulgação/ALMS
Audiência pública com corretores de imóveis debateu nesta tarde (17) na Assembleia Legislativa os problemas que afetam o mercado imobiliário em Mato Grosso do Sul. Durante o evento, foi anunciada a realização do 1º Encontro Trinacional de Corretores de Imóveis Brasil-Bolívia-Paraguai, pela presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado, Marta Recalde.

Segundo divulgado pelo sindicato, o encontro foi solicitado pela deputada estadual Mara Caseiro (PSDB) e teve como foco “As Ações dos Corretores de Imóveis no Mercado Imobiliário”. No entanto, a audiência debateu diversos subtemas ligados ao setor.

Entre eles, esteve “Negócios Imobiliários no Exterior”, exposto pelo presidente da Comissão de Direito Imobiliário, Urbanístico, Registral e Notarial da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul), Alípio Macus Lacca de Oliveira.

Em seguida, o vice-presidente do Creci-MS (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis), Eli Rodrigues, debateu sobre “A Evolução da Profissão de Corretor de Imóveis”.

O ponto alto da audiência, foi a apresentação do presidente da entidade de Goiás, Oscar Hugo Monteiro Guimarães, sobre “A formação Profissional do Corretor de Imóveis no Brasil”. O presidente é diretor pedagógico do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis. Ele participou da implantação da primeira Faculdade de Gestão Imobiliária do país, em Campo Grande. Depois disso, já implantou 82 outras faculdades iguais em universidades brasileiras.

Após as exposições, houve debate sobre os subtemas, além das duas avaliações que a Prefeitura de Campo Grande faz de um mesmo imóvel: uma para definir a pauta do valor do IPTU; e outra para a cobrança do ITBI-Imposto de Transmissão de Bens Imóveis, no caso de venda.

Fonte: campograndenews
Por: Guilherme Henri