Em congresso empresarial, Longen reforça importância de reformas estruturantes - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

24/05/2018

Em congresso empresarial, Longen reforça importância de reformas estruturantes

©Divulgação
Ao discursar para uma plateia de 700 lideranças empresariais e sindicais de todo o Brasil durante a abertura do 34º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais do Comércio de Bens e Serviços, realizada na noite de ontem (23/05) no Centro de Convenções de Bonito (MS), o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou a importância da aprovação de reformas estruturantes, especialmente a Reforma Política, para que o Brasil volta a se tornar um ambiente favorável para investimentos e atuação do empresário.
©Divulgação
Sérgio Longen afirmou que o momento é propício para a discussão porque nos meses anteriores às eleições gestores e legisladores estarão de olho nas demandas das entidades representativas para elaborar planos de governo e pautar a atuação pelos próximos quatro anos. “De nada adianta a revolta da sociedade com a classe política, o que nós, empresários, podemos fazer é participar ativamente da discussão em torno da proposta de mudança do sistema político do nosso país, que é arcaico e está falido”, declarou, defendendo a união das entidades laborais e patronais em prol de uma pauta comum para o País.

Corroborando a fala do presidente da Fiems, o governador Reinaldo Azambuja também apontou a aprovação da Reforma Política e, ainda, a da Previdência e Tributária para o Brasil avançar. “O presidente eleito e que for comandar o País terá de fazer as reformas estruturantes. Em Mato Grosso do Sul, adotamos um modelo que tem sido muito bem-sucedido: as entidades do setor produtivo – Fiems, Famasul, Fecomércio e Faems – sentam conosco à mesa de discussões, e construímos, com este diálogo, avanços fundamentais, como uma das melhores políticas de incentivos fiscais do país”, exemplificou sobre o papel das entidades.

Anfitrião do evento, o presidente da Fecomércio-MS e do Sindicato do Comércio Varejista de Campo Grande, Edison Araújo, também ressaltou a importância de discutir o cenário sindical empresarial. “Estamos em um ano muito importante para o empresariado e acreditamos que vamos ajudá-los em questões-chave no dia-a-dia das empresas, haja vista que as dúvidas ainda são muitas, principalmente diante das mudanças advindas da reforma trabalhista”, analisou.

O presidente da Comissão de Turismo, Indústria e Comércio da Assembleia Legislativa, deputado estadual Paulo Corrêa, também salientou o papel do setor produtivo para o desenvolvimento do Estado. “Mato Grosso do Sul é pujante e tem potencial de geração de emprego e renda e, quanto mais isso for explorado, com uma somatória de esforços dos empresários, e do poder público, mais vamos crescer”, disse.

O superintendente do Sebrae-MS, Claudio Mendonça, destacou a força das microempresas dentro da economia do País. “Mais de 70% das empresas são de micro e pequeno porte, demonstrando a relevância destes empresários para uma discussão e reflexão tão importante como a que está sendo proposta durante este congresso”, concluiu.

ASSECOM