Fetems mantém decisão e greve pode seguir até o dia 30 de abril - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

09/04/2018

Fetems mantém decisão e greve pode seguir até o dia 30 de abril

Administrativos de educação paralisam a partir da terça-feira (10)

©Guilherme Cavalcante
A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul) decide que irá manter greve, que começa nesta terça-feira (10). Mesmo com propostas da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), a greve segue até o dia 30 de abril e há possibilidade de prorrogação.

A principal reivindicação da categoria é o abono de R$ 200 e a Secretaria prometeu a incorporação a partir do ano que vem. O presidente da Fetems, Jaime Teixeira, afirma que os trabalhadores não têm condições de esperar pela possibilidade de receber a incorporação no próximo ano porque há profissionais que recebem menos do que um salário mínimo. “A carreira dos administrativos da educação começa em R$ 829, sendo que o salário mínimo nacional é de R$954”.

Segundo informações da Fetems, o estado tem 6 mil trabalhadores administrativos na rede estadual de educação e a intenção é que todos parem. O presidente Jaime Teixeira explica que a categoria envolve diversos profissionais e que a paralisação pode afetar o funcionamento das escolas em poucos dias. “Se você tem uma escola sem ninguém para fazer a limpeza da sala de aula, nem a merenda, a segurança no pátio, sem ninguém na secretaria, na portaria, três dias ou quatro dias inviabiliza todo o serviço”.

De acordo com a SAD, a proposta feita à Fetems foi de reajuste de 10% e a incorporação, a partir de 2019, dos R$ 200 de abono a todo o funcionalismo, mais R$ 100 em auxílio alimentação. O secretário adjunto de Administração e Desburocratização, Édio Viegas, afirma que a greve não era esperada e que o Governo do Estado está sempre aberto a negociação.

“Mostramos para a Fetems que legalmente não há a possibilidade de incorporar os R$ 200 de abono neste ano”, afirma. O secretário ainda enfatizou que o governo atendeu a todas as reivindicações feitas pelos servidores da educação, inclusive a realização de concurso público para professor e administrativo da educação.

Fonte: Midiamax
Por: Mylena Rocha