Deputados comentam Projeto Escola Sem Partido e Caravana da Saúde - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

12/04/2018

Deputados comentam Projeto Escola Sem Partido e Caravana da Saúde

Mara e Zé Teixeira comemoraram os avanços obtidos pela Caravana da Saúde

©Luciana Nassar 
Durante a última sessão plenária da semana, nesta quinta-feira (12), os deputados comentaram a retomada do projeto Caravana da Saúde, do Governo do Estado, e o Projeto de Lei 191/2017, denominado Escola Sem Partido, de autoria de Mara Caseiro (PSDB), Lidio Lopes (PEN), Maurício Picarelli (PSDB), Dr. Paulo Siufi (PMDB) e do então deputado Coronel David (PSC). A proposta, que passou esta semana pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e seguirá para primeira votação em plenário, dispõe sobre os deveres dos professores sobre assuntos relacionados à política, religião e gênero, com justificativa de prevenir práticas de doutrinações ideológicas.

“Agradeço à CCJR por ter permitido que o projeto seja discutido por todos os deputados no plenário. Se de um lado temos uma decisão monocrática do ministro Barroso, dizendo que a proposta é inconstitucional, de outro temos a CCJR do Paraná, que também votou a favor da medida”, informou Mara. “Respeitamos quem pensa diferente, mas apresentamos uma lei que acreditamos ser para o bem-estar da nossa comunidade. Não deve haver doutrinação de nenhum tipo nas escolas”, complementou.

Coautor do projeto, Dr. Paulo Siufi ressaltou que é preciso buscar entendimento. “É preciso debater e conversar para que a lei seja efetivamente cumprida”, disse. “Ninguém quer proibir que se fale na escola de política ou de sexo, mas é preciso tratar das várias vertentes”, afirmou Herculano Borges (SD).

Caravana da Saúde

Mara Caseiro também comemorou a retomada do projeto Caravana da Saúde, que terá como público-alvo os estudantes da rede pública com problemas de visão ou audição. “Devem ser atendidos 42 mil alunos somente em Campo Grande. É uma conquista e um marco importante para todos nós”, disse. Segundo ela, durante a primeira edição da Caravana, foram realizados 37 mil procedimentos oftalmológicos e 25 mil cirurgias eletivas.

Cabo Almi (PT) criticou a iniciativa do Governo do Estado. “Essa Caravana não resolve o problema da saúde e ainda cria outros. É sempre um paliativo”, reiterou. Para Zé Teixeira (DEM), a ação é muito importante para quem mais precisa. “É uma forma de chegar a muitas pessoas que precisam, é uma ação que contribui”.

©Luciana Nassar 
Também na tribuna, o líder do Governo na Casa de Leis, Professor Rinaldo (PSDB), reiterou que a saúde é prioridade do Governo do Estado. “Muitos podem discordar, mas não podemos dizer que as ações, como a Caravana, são de cunho eleitoral. O Governo vem fazendo muito pela saúde”, enfatizou, citando a recente inauguração do Hospital do Trauma, anexo à Santa Casa, em Campo Grande. “As pessoas estavam aguardando pelo hospital há 21 anos. Esperamos que, muito em breve, a unidade esteja totalmente equipada e funcionando plenamente”, concluiu.

Fonte: ASSECOM
Por: Fabiana Silvestre