Confira quais cidades foram indicadas pelo deputado Márcio Fernandes para receber ambulâncias e recursos para a saúde - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

23/02/2018

Confira quais cidades foram indicadas pelo deputado Márcio Fernandes para receber ambulâncias e recursos para a saúde

© Divulgação
Confira quais cidades foram indicadas pelo deputado Marcio Fernandes para receber ambulâncias e recursos para a saúde

O Deputado Estadual Marcio Fernandes fez nesta semana importantes indicações para melhorias na saúde do Estado. Entre as principais estão a destinação de ambulâncias, unidades odontológicas móveis e incremento do repasse de recursos para a Atenção Básica.

Entre as cidades que devem receber ambulâncias estão Brasilândia, Ladário, São Gabriel do Oeste, Batayporã, Deodápolis, Naviraí, Ivinhema, Sidrolândia, Ponta Porã, Sonora, Antônio João, Miranda e Ribas do Rio Pardo.

Já entre as que devem receber unidades odontológicas móveis estão Campo Grande, Ivinhema, Coxim, Miranda, Naviraí, Três Lagoas, Nova Andradina, Corumbá, Dourados e Ponta Porã.

Três Lagoas, Nova Andradina, Costa Rica, Ponta Porã, Bela Vista, Guia Lopes da Laguna, Coronel Sapucaia, Sonora, Antônio João, Ribas do Rio Pardo e Miranda deverão receber o incremento de recursos repassados à Atenção Básica em Saúde.

Todas as indicaçõe foram direcionadas à Secretaria Nacional de Governo, comandada pelo Ministro Carlos Marun e mais cidades devem ser contempladas nas próximas etapas. A ordem de cidades escolhidas se deve aos estudos de necessidade e viabilidade de atendimento.

As solicitações foram planejadas após ouvir moradores e lideranças nos municípios, além dos estudos para detectar as prioridades de cada região. “Cuidar da saúde dos municípios é fundamental para promover a qualidade de vida e o bem-estar da população, por isso estou buscando com o ministro Marun esse recurso, e tenho certeza de que seremos atendidos o mais rápido possível, já que ele também conhece a necessidade de se investir na Saúde dessas cidades”, afirmou.

Fonte: ASSECOM
Por: Fernando Hassessian